Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Ministros Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes votam no julgamento sobre Código Florestal - Jornal Brasil em Folhas
Ministros Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes votam no julgamento sobre Código Florestal



O Plenário do Supremo Tribunal Federal deverá concluir, na próxima quarta-feira (28), o julgamento conjunto das cinco ações que discutem dispositivos do novo Código Florestal (Lei 12.651/2012): a Ação Declaratória Constitucionalidade (ADC) 42 e as Ações Diretas de Inconstitucionalidade (ADIs) 4901, 4902, 4903 e 4937. A sessão desta quinta-feira (22) se encerrou com os votos dos ministros Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes. Falta ainda votar o decano do Tribunal, ministro Celso de Mello.

Ministro Ricardo Lewandowski

A partir do que classificou como uma “interpretação biocêntrica” da questão do meio ambiente, o ministro Ricardo Lewandowski acolheu os argumentos dos ministros Luiz Fux, Marco Aurélio e Cármen Lúcia e o direcionamento de seus respectivos votos, mas ressaltou que, quando houver conflito entre eles, opta por uma solução mais restritiva – ou seja, mais favorável ao meio ambiente.

Lewandowski abordou o tema de uma perspectiva mais ampla sobre a questão do meio ambiente, conforme já o fez em julgamentos anteriores, como o da ADI 4983, que tratou da vaquejada, rejeitando a abordagem antropocêntrica, segundo a qual a natureza deve servir o homem, e os animais seriam “coisas”. Para o ministro, a natureza deve servir à vida. O ministro se reportou a documentos como a Carta da Terra – “uma espécie de código de ética planetário, semelhante à Declaração Universal de Direitos Humanos, só que voltada à sustentabilidade, à paz e à justiça socioeconômica” –, e a Encíclica Louvado Sejas, na qual o Papa Francisco “exorta a humanidade a cuidar da casa comum” e prega a necessidade de uma nova solidariedade universal.

Citou também a Constituição da República do Equador, que considera a natureza sujeito de direitos. “Nesses dias conflituosos que vivemos, a meu sentir, para se lidar com o meio ambiente, quando há uma dúvida, o resultado deve ser in dubio pro natura, homenageando-se os princípios da precaução e do cuidado”, concluiu.

Ministro Gilmar Mendes

Único a votar até o momento pela total improcedência de todas as ADIs e pela procedência da ADC, o ministro Gilmar Mendes afastou a aplicação ao caso do princípio da proibição do retrocesso. Ele ressaltou que o Código Florestal é uma lei “extremamente técnica”, resultado de mais de 200 audiências públicas que contaram com a participação de todos os setores representativos da sociedade relacionados à matéria.

Para Gilmar Mendes, a proibição do retrocesso não é geral nem pode ser uma barreira intransponível para qualquer mudança no âmbito dos direitos fundamentais, sob pena de destruir a função do Legislativo. O ministro ressaltou que, em relação ao meio ambiente, a legislação anterior estava tão distanciada da realidade, e tão desfigurada pela legislação infraconstitucional, que não estava sequer sendo aplicada. A elaboração do novo Código, a seu ver, foi um “processo de convergência para restaurar um mínimo de normatividade”.

O ministro defendeu uma nova visão holística do direito ambiental, “sem as amarras radicalmente ecológicas”, sem que se atinja o núcleo essencial da proteção nem os tratados internacionais firmados pelo Brasil, nem se esvazie o desenvolvimento sustentável previsto na Constituição Federal, que visa compatibilizar o interesse econômico e empresarial com a proteção ao meio ambiente.

O julgamento terá sequência com o voto do ministro Celso de Mello e a proclamação do resultado da votação, o que está previsto para a próxima quarta-feira (28).

 

Últimas Notícias

Atos em Brasília marcam os 50 anos da Receita Federal
Temer pede que brasileiros reflitam sobre questão racial
Grafiteira faz mural de 500 m2 no Rio para homenagear mulheres negras
Dia da Consciência Negra é comemorado no Rio com homenagem a Zumbi
Estados poderão decidir se darão aulas a distância no ensino médio
Moro escolhe delegados da Lava Jato para PF e departamento do MJ
Estudante poderá escolher área a ser avaliada no segundo dia do Enem
PF prende suspeitos de ligações com facções criminosas em sete estados

MAIS NOTICIAS

 

Estimativa do mercado para inflação cai pela quarta vez seguida
 
 
Autoridades de Cuba anunciam retorno de médicos antes do fim do ano
 
 
Guatemala monitora atividades de vulcão que pode ter novas erupções
 
 
Ex-CEO da Nissan é preso no Japão suspeito de reduzir próprio lucro
 
 
Governador eleito do Rio promete nova concessão para o Maracanã
 
 
Relatório alerta que há 45 barragens sob ameaça de desabamento

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212