Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Relatório do Exército aponta que PM do Rio de Janeiro está sucateada - Jornal Brasil em Folhas
Relatório do Exército aponta que PM do Rio de Janeiro está sucateada


Na fase de formação de um diagnóstico da situação, o grupo de trabalho que monta a estrutura da intervenção federal no Rio, sob comando do General Walter Braga Netto, está processando “com grande atenção” os dados referentes ao sucateamento da Policia Militar. Um oficial do Exército disse ao Estado nesta quarta-feira, 21, que a crise atinge profundamente o moral da tropa, “desequipada, desmotivada, desencantada e levada todos os dias ao confronto desigual com um inimigo difuso”.

Para o militar, que atua desde 2017 com a PM do Rio nas atividades de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), apenas “uma profunda reestruturação da instituição poderá alterar esse quadro a médio prazo”. Também não há dinheiro. No orçamento de 2018, a dotação prevista pelo governo do Estado para a PM estacionou em R$ 500 milhões.

Os coronéis da Polícia Militar do Rio se aposentam, em média, aos 48 anos da idade e recebem um benefício de R$ 26 mil, equivalente ao soldo básico pago ao pessoal da ativa. A aposentadoria da tropa – policiais e bombeiros – não passa do teto de R$ 8 mil. O resultado prático dessa distorção e das incertezas da carreira diante da crise no setor é que há um significativo êxodo de pessoal. Todos os meses, cerca de 800 pedidos de afastamento de longo prazo são protocolados na PM.

A frota de viaturas, estimada em 6,8 mil unidades, está reduzida a pouco mais de 3 mil veículos de todos os tipos rodando em condições precárias, muitas vezes graças a reparos pagos, por exemplo, por comerciantes de áreas de maior risco – interessados em manter as rondas preventivas. Faltam armas, munições e os sistemas de comunicações funcionam precariamente, o que leva ao uso dos telefones pessoais durante as atividades rotineiras.

A organização dá prioridade no uso do equipamento disponível às operações de grande porte, como as ações do Bope, o batalhão especializado, nas comunidades dominadas pelo crime organizado e bem armado.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212