Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Avanços que passam pelo setor rural até as grifes de luxo no país - Jornal Brasil em Folhas
Avanços que passam pelo setor rural até as grifes de luxo no país


Rio de Janeiro. Do produtor de soja no Mato Grosso às malas de luxo da grife Louis Vuitton. A era dos objetos conectados já migrou das apresentações futuristas das empresas de tecnologia para as ruas de todo o país. As iniciativas vêm ganhando tanta velocidade no Brasil a ponto de empresas brasileiras e estrangeiras estarem investindo na construção de redes próprias de internet por aqui e analisando a produção local de equipamentos (uma espécie de chips) capazes de calcular informações variadas, como a temperatura corporal de uma vaca e a vibração do motor de uma geladeira.

Até 2017, a expectativa era que em 2025 o Brasil tivesse 100 milhões de objetos conectados à rede e receita anual superior a R$ 40 bilhões. Mas, para especialistas, a previsão é que esses números sejam alcançados bem antes. Um dos principais motivos para o avanço maior que o esperado é a corrida tecnológica travada no setor, aliada à necessidade de redução de custos e maior eficiência das empresas.

Assim, as iniciativas ganham cada vez mais velocidade. No campo, esses projetos começam a mudar a realidade dos fazendeiros. Rafael Pizzi, diretor da Agrosmart, da área de tecnologia, lembra que produtores de soja no Mato Grosso e de laranja em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, implantaram sistemas de conexão no meio das plantações no ano passado. Eles funcionam como uma espécie de estação meteorológica, captando informações como temperatura, força dos ventos e radiação solar. Há ainda sensores ligados à terra que calculam a umidade do solo. Com isso, os equipamentos conseguem saber o momento ideal para o uso de pesticidas, um dos principais custos dos produtores rurais.

“Antes, tudo era feito com base no que o vizinho estava fazendo, pois não havia como coletar os dados. Era tudo na intuição. Com a redução nos custos permitidas com as novas tecnologias, essas soluções vêm atraindo o interesse das empresas. A redução nas despesas pode chegar a 40%”, destacou Pizzi.

As grifes de luxo também estão na corrida tecnológica. Sem alarde, a Louis Vuitton entrou no ano passado com pedido de autorização na Comissão Federação de Comunicação (FCC) dos EUA para conectar suas malas. Segundo informações prestadas à FCC, a marca informou que o aparelho, batizado de Echo, será acoplado na parte interna da mala e poderá ser retirado para ser carregado por meio de cabo USB.

Além disso, o cliente poderá de baixar um aplicativo da marca no celular, o LV Pass, para ter informações sobre a mala. Ao aterrissar, o cliente recebe um alerta sobre a localização da bagagem. O dispositivo ainda será capaz de informar se a mala foi aberta. A expectativa é que o novo produto seja lançado em breve, inclusive no Brasil.
Criação de equipamentos nos planos

Rio de Janeiro. Com o aumento da demanda e das iniciativas, algumas empresas já estão planejando a produção de equipamentos de internet das coisas no Brasil. É o caso da portuguesa Loka, que pretende fazer uma parceria com a Foxconn para produzir os dispositivos na unidade fabril em São Paulo. O diretor da companhia, João Takanho, citou a demanda por empresas de transporte, preocupadas com o aumento no roubo de cargas. Esses sensores conseguem, por exemplo, ver o que está à volta, escaneando as redes de telefonia que estão ao redor, assim como os bloqueadores de sinal de celular, muito usados por bandidos, pontuou o executivo:

“A produção hoje é na China, mas vamos em 2018 transferir a produção para cá de forma a ganhar competitividade. Há uma grande demanda da indústria, que está buscando soluções para analisar a vibração dos motores e, com isso, detectar problemas de forma preventiva. No final, é tudo para economizar custos”.

Flash

Inovações. A Konker, empresa dedicada a soluções tecnológicas, firmou parceria com a Oi para criar novas soluções, como permitir às redes de varejo o gerenciamento remoto de geladeiras, permitindo o controle de abastecimento de produtos perecíveis.

 

Últimas Notícias

Governadores do Nordeste fecham agenda única para levar a Bolsonaro
Marcha da Consciência Negra pede democracia, direitos e fim do racismo
Bolsonaro diz que vai seguir normas legais para indicação à PGR
Projeto que flexibiliza Lei da Ficha Limpa é arquivado do Senado
Conselho de Ética da Câmara arquiva representação contra Laerte Bessa
Reunião do Escola sem Partido é novamente suspensa em comissão mista
Eunício e equipe do futuro governo voltam a discutir cessão onerosa
Brasil encerra o ano com vitória sobre Camarões por 1 a 0

MAIS NOTICIAS

 

Grafiteira faz mural de 500 m2 no Rio para homenagear mulheres negras
 
 
Estados poderão decidir se darão aulas a distância no ensino médio
 
 
Estudante poderá escolher área a ser avaliada no segundo dia do Enem
 
 
PF prende suspeitos de ligações com facções criminosas em sete estados
 
 
Bolsonaro confirma Mandetta para a Saúde
 
 
México habilita 26 empresas brasileiras para compra de carne de frango

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212