Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


11 de Dez de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Empresários e executivos de Minas estão mais otimistas - Jornal Brasil em Folhas
Empresários e executivos de Minas estão mais otimistas


Passado o Carnaval, o ano de fato começa no país, e a expectativa dos empresários de várias áreas de atuação é que os resultados dos negócios em 2018 sejam melhores que os verificados no ano passado. O motivo, segundo eles, é que as variáveis macroeconômicas neste ano estão melhores, com destaque para os juros mais baixos e a redução paulatina do desemprego.

O diretor da indústria Faleiro, Antônio Faleiro Neto, diz que o pior momento da economia nacional ficou para trás. Um dado que reforça o ânimo do empresário do ramo de produtos prontos congelados foi o desempenho de janeiro, que foi superior ao verificado em dezembro do ano passado. “Foi atípico. No geral, o primeiro mês do ano é morto. Nunca vi isso acontecer antes”, conta.

Ele conta que, em 2017, investiu numa fábrica de pão de queijo e, neste ano, um dos objetivos é comercializar o produto em 30% dos clientes ativos, que chegam a cerca de 6.000.

E o empresário não tem do que reclamar, já que a média de crescimento da indústria localizada na capital é de 40% nos últimos cinco anos. Em 2017, a alta no faturamento foi de 36% frente o ano anterior. E, para 2018, a perspectiva é de obter um crescimento da ordem de 44%.

Também no segmento de alimentação, a Forno de Minas, que tem fábrica em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, estima alta de 28% no faturamento neste ano, conforme o presidente da empresa, Hélder Mendonça. “Acreditamos em ligeiras melhoras como inflação baixa, juros mais baixos, melhoria, ainda que pequena, no nível de emprego e, então, a confiança do consumidor”, afirma.

Ele conta que 2017 foi um ano desafiador não só para a Forno de Minas, mas para todas as empresas do setor alimentício em razão da deflação dos alimentos concomitante com os altos custos. No ano passado, segundo Mendonça, a indústria registrou incremento de 11,5% em volume e 19,2% de receita em relação a 2016.

O fundador do grupo mineiro Suggar – que abrange Suggar Minas e Suggar Paraíba, além de Cook Cozinhas & Ambiente e Linha Branca Expresso (de transporte) –, Lúcio Costa, aposta num crescimento dos negócios de 28% a 30% este ano, superando a alta na casa dos 24% de 2017.

Costa demonstra não temer as dificuldades impostas pelas crises. “Em anos de atuação de mercado, passamos por diversas crises, vários planos econômicos. Superamos anos de hiperinflação, o confisco da poupança durante o governo de Fernando Collor de Mello, entre outros empecilhos”, diz.

Previsões de aportes volumosos para 2018

As expectativas para 2018 são boas para o presidente da Usiminas, Sergio Leite. Depois que os acionistas deram uma trégua em quatro anos de desavenças e firmaram um acordo de paz, o CEO vê um futuro de tranquilidade para investimentos. A expectativa é aplicar R$ 500 milhões em 2018, mais do que o dobro dos R$ 216 milhões investidos em 2017. “Ainda não serão grandes projetos, serão mais voltados para modernização e manutenção da capacidade produtiva”, afirma.

Dentre os investimentos, o maior é a reativação do alto-forno de Ipatinga, marcada para abril. “Foram R$ 80 milhões, com a geração de 500 empregos no pico das obras de reforma, além de 120 postos de trabalho que serão gerados quando o equipamento voltar a funcionar”, ressalta.

E a confiança na retomada da economia fez a ArcelorMittal divulgar na última semana um acordo para comprar a parte de siderurgia da brasileira Votorantim. A aquisição foi aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), no último dia 7. O CEO da ArcelorMittal Aços Longos Américas do Sul, Central e Caribe, Jefferson De Paula, diz acreditar na recuperação do mercado de aços longos, depois do recuo verificado de 2013 a 2016. “Segundo dados do Instituto Aço Brasil, deve subir de 7% a 9% em 2018”, diz.

Yuri Chain, diretor comercial da MRV Engenharia para Minas, disse que a empresa tem um projeto de R$ 900 milhões para o Estado.


 

Últimas Notícias

Jornalista e radialista Laerte Junior morre aos 52 anos
Prazo para consolidar dívidas do Refis começa nesta segunda
Novo crediário para cartão é estudado para 2019, diz Febraban
Receita libera hoje consulta a sétimo lote de restituição do IR 2018
Intenção de investimentos da indústria cresce 4,4 pontos
Mercado reduz estimativa de inflação pela sétima vez
Demanda por bens industriais cresce 0,3% em outubro
Anatel apreende mais de 126 mil produtos não certificados

MAIS NOTICIAS

 

Novo crediário para cartão é estudado para 2019, diz Febraban
 
 
Demanda por bens industriais cresce 0,3% em outubro
 
 
Diálogo Brasil debate projeto Escola sem Partido
 
 
Brasileiro é eleito para Associação Internacional de Seguridade Social
 
 
Polícia e MP de Goiás vão apurar denúncias contra médium João de Deus
 
 
ONG homenageia policiais militares mortos no estado do Rio

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212