Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Trump anuncia novas sanções para isolar ainda mais a Coreia do Norte - Jornal Brasil em Folhas
Trump anuncia novas sanções para isolar ainda mais a Coreia do Norte


O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta sexta-feira (23) novas sanções para isolar ainda mais a Coreia do Norte, horas depois da chegada de sua filha Ivanka à Coreia do Sul para o encerramento dos Jogos Olímpicos de Inverno.

Estas medidas apontam para mais de 50 companhias e navios que, segundo o Executivo americano, ajudam Pyongyang a eludir as sanções já impostas.

Hoje lançamos as mais severas sanções que já foram impostas a um país, afirmou Trump em um longo discurso na conferência CAPC, a grande reunião anual dos conservadores americanos.

Espero que haja algo positivo, veremos já, acrescentou.

Em uma coletiva de imprensa junto com o primeiro-ministro australiano, Malcolm Turnbull, Trump advertiu que as sanções são apenas a primeira opção.

Se as sanções não funcionarem, teremos que ativar a segunda fase. A fase dois poderia ser muito dura, adiantou, sem desenvolver a ideia.

O objetivo dessas sanções é continuar cortando as fontes de renda e petróleo que o regime utiliza para financiar seu programa nuclear e armamentista, segundo a Casa Branca.

De acordo com o Tesouro americano, essas sanções visam um indivíduo, 27 entidades e 28 navios localizados ou registrados em Coreia do Norte, China, Singapura, Taiwan, Hong Kong, Ilhas Marshall, Tanzânia, Panamá e Comores.

O secretário do tesouro, Steve Mnuchin, assinalou que se trata de praticamente de todos os navios que a Coreia do Norte usou até agora.

O anúncio é feito a dois dias do fim dos Jogos de Inverno de Pyeongchang, aos quais também assistem autoridades norte-coreanas.

- Colaboração da ONU-

Os Estados Unidos pretendem que a comunidade internacional pressione o regime de Pyongyang e, nesta sexta-feira, pediu à ONU que acrescente essas companhias na lista negra.

Estamos aumentando a pressão contra o regime da Coreia do Norte, e vamos usar todas as ferramentas das quais dispomos, incluindo trabalhar com nossos aliados e através da ONU, para aumentar a pressão até que a Coreia do Norte mude seu rumo, detalhou a embaixadora americana na ONU, Nikki Haley.

O regime norte-coreano de Kim Jong-Un já é visado por várias sanções impostas por Washington e pelas Nações Unidas, a fim de forçar o abandono de seus programas nuclear e balístico.

Em 2017, o Conselho de Segurança da ONU impôs, por unanimidade, três séries de sanções econômicas contra a Coreia do Norte.

Em 5 de agosto as sanções visaram os setores do ferro, carvão e pesca; em 11 de setembro o têxtil e do petróleo; e em 22 de dezembro principalmente os produtos derivados do petróleo.

Há alguns meses, Trump acusou a China de fornecer petróleo à Coreia do Norte, apesar das sanções, uma afirmação categoricamente negada por Pequim.

- Mensagem às empresas em todo o mundo -

O Tesouro está atacando fortemente as rotas ilegais utilizadas pela Coreia do Norte para evitar as sanções, declarou o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, citando, em particular, entregas de carvão e petróleo.

Segundo ele, as sanções destinam-se a lembrar as empresas de todo o mundo que, se decidirem ajudar a financiar as ambições nucleares da Coreia do Norte, não poderão fazer negócios com os Estados Unidos.

Após chegar na parte da noite em Seul, Ivanka Trump, muito próxima de seu pai, participou de um jantar na Casa Azul com o presidente sul-coreano Moon Jae-in.

A Casa Branca disse que havia enviado uma mensagem pessoal ao presidente Moon de seu pai a respeito do anúncio das sanções.

Em um breve discurso, Ivanka Trump insistiu na amizade entre Washington e Seul, mas também reafirmou a determinação dos Estados Unidos de colocar pressão máxima sobre Pyongyang para garantir que a península coreana seja desnuclearizada.

Pyongyang enviará no domingo uma delegação oficial de oito membros liderada pelo general Kim Yong Chol para a cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos.

Mas a Casa Branca disse que nenhuma reunião entre os enviados americanos e norte-coreanos foi planejada. Para a cerimônia de abertura, o líder norte-coreano enviou sua irmã Kim Yo Jong, que ficou a poucas fileiras do vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence.

 

Últimas Notícias

Submarino argentino é encontrado um ano e um dia após desaparecimento
Parlamento cubano rejeita resolução da Eurocâmara sobre direitos human
Incêndio da Califórnia registra 74 mortos e mais de mil desaparecidos
Livro mistura suspense e fantasia em reflexão sobre violência no país
EBC e Fundação Getulio Vargas firmam acordo para revitalizar acervo
Trabalho de escoramento em viaduto paulistano prossegue neste sábado
Belo Horizonte tem previsão de mais chuva; temporais já mataram quatro
Prefeito de Mariana diz que não desistirá de ação no Reino Unido

MAIS NOTICIAS

 

Morre em Pelotas o criador da camisa canarinho, Aldyr Schlee
 
 
Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017
 
 
Jungmann e Toffoli anunciam sistema para unificar processos de presos
 
 
Pensamento liberal deve guiar a equipe econômica de Bolsonaro
 
 
Gold3-4 minutosfajn permanecerá à frente do BC até Senado aprovar Campos Neto
 
 
Senado argentino aprova orçamento de 2019 como prometeu ao FMI

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212