Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Fed tenta acalmar temores acerca da inflação nos Estados Unidos - Jornal Brasil em Folhas
Fed tenta acalmar temores acerca da inflação nos Estados Unidos


Um aumento nos salários dos Estados Unidos em janeiro causou tempestades nos mercados, mas o Federal Reserve (Fed, o Banco Central americano) procura aliviar os temores de que essas altas façam a inflação disparar.

Em seu relatório semestral ao Congresso, o Fed disse que a inflação continua contida, tanto nos Estados Unidos, quanto em outras economias avançadas. O banco central afirmou que, embora a economia americana pareça perto do pleno emprego, não há escassez de mão-de-obra.

O aumento de quase 3% no salário médio por hora abalou os mercados de ações no início do mês, devido ao temor de que um aumento repentino da inflação possa forçar o Fed a aumentar as taxas de juros mais rapidamente do que o esperado.

O Fed indicou que considera aumentar as taxas três vezes este ano, mas muitos economistas preveem que serão quatro altas - a primeira delas já no fim mês que vem.

O banco central também aponta que o emprego cresce solidamente e absorve consideravelmente mais rapidamente novos funcionários, mas indica que existem outros fatores em jogo, como alguns grupos, que incluem negros e hispânicos, ainda sofrerem com o alto desemprego.

Embora os empregadores relatem dificuldades para encontrar trabalhadores qualificados, a contratação continua a se acelerar, e a grave falta de trabalhadores provavelmente gerará maiores aumentos salariais, diz o relatório.

Com uma taxa de desemprego de 4,1%, o crescimento dos salários, no entanto, foi moderado, provavelmente devido ao ritmo fraco de crescimento da produtividade, diz o documento.

Alguns grupos sociais sofrem mais com o desemprego: 5% dos hispânicos e mais de 7% dos negros não têm trabalho. Entre os brancos, a taxa é de 3,7%.

O relatório não indica maiores preocupações com as pressões de preços, especialmente devido à baixa inflação de outras grandes economias.

O Fed observa que o aumento dos salários e a baixa inflação geram alguma confusão, mas indica que a crescente concorrência no comércio digital e outros fatores podem estar influenciando o mundo inteiro para estagnar os preços.

A entidade disse que continuará a monitorar fatores que podem gerar mais inflação.

Mais uma vez, o Fed reiterou que espera que o PIB dos Estados Unidos continue a crescer em ritmo moderado e que a inflação siga em direção à meta de 2%, apesar do aumento gradual das taxas de juros.

 

Últimas Notícias

John Forman recusa cargo no Conselho de Administração da Petrobras
Em visita oficial, Macri é recebido no Planalto por Bolsonaro
Mercado financeiro prevê inflação em 4,02% neste ano
Consultas de CPFs para vendas a prazo no comércio crescem 2,8%
Produção de bicicletas aumenta 15,9% no Brasil
Receita abre consulta a restituição do Imposto de Renda de 2008 a 2018
Ex-comandante da Marinha é indicado para o conselho da Petrobras
Inflação para idosos fecha 2018 em 4,75%, informa FGV

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212