Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Quanto um animal de estimação gasta? Custos mensais podem comprometer até 24% da renda - Jornal Brasil em Folhas
Quanto um animal de estimação gasta? Custos mensais podem comprometer até 24% da renda


SÃO PAULO - Quase todo mundo quer ter ou já possui um bichinho de estimação, mas geralmente esquece de colocar em seu planejamento financeiro os gastos com o pet. Você sabe quanto um amiguinho peludo ou até mesmo um peixinho ou pássaro pesa no seu bolso? A Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) fez as contas

“Além de um compromisso durante os anos de vida do animalzinho, existem inúmeros gastos mensais pré-determinados”, explica Angela Assumpção, planejadora financeira. No caso de cães e gatos, por exemplo, há os custos básicos com alimentação, banho (caso não seja possível dar em casa por conta do pelo e/ou tosa), vacinação, entre outros.

Segundo dados da Abinpet (Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação), um cachorro de porte médio (entre 11kg até 25kg) custa R$ 278,21 por mês. Neste valor estão considerados gastos com ração (332 gramas por dia), banho e tosa (uma vez por mês), veterinário (três consultas por ano), antipulgas (uma vez por mês), vacinas (uma dose por ano) e vermífugos (duas vezes ao ano).

Além disso, existem os custos opcionais como brinquedos, cama, ossinhos e outros mimos. Também devem ser levados em conta imprevistos como idas ao veterinário em caso de doença, necessidade de um adestrador ou dogwalker, hospedagem em caso de viagens e até objetos que podem ser destruídos pelos filhotes.

No Brasil, os gastos com animais de estimação variam de menos de 1% a 24% da renda familiar, dependendo da classe econômica. Quanto menor o salário, maior é a proporção do gasto mensal com os pets, segundo a Abinpet.

O custo aumenta com o tempo. “Quando os animais envelhecem ficam mais frágeis, o que pode subir a despesa com remédios, rações específicas e idas mais frequentes ao veterinário”, explica Assumpção.

Uma solução para saber o quanto um bichinho comprometerá do orçamento, segundo a planejadora, é dar um pulinho no pet shop e no veterinário e verificar o preço de tudo isso.

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212