Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Partido de Merkel valida acordo de governo - Jornal Brasil em Folhas
Partido de Merkel valida acordo de governo


O partido conservador da chanceler alemã Angela Merkel, a CDU (União Democrata-Cristã), validou nesta segunda-feira o projeto de governo de coalizão com os social-democratas.

O contrato de coalizão foi aprovado com 27 votos contra de um total de 975 delegados presentes e todos os outros a favor desta aliança, anunciou após a votação dos delegados do movimento conservador Armin Laschet, um dos líderes do partido.

Para selar a aliança ainda falta a aprovação dos militantes social-democratas por meio de uma consulta cujos resultados serão anunciados no domingo.

Os quase mil delegados da CDU, partido predominante da centro-direita da Alemanha, estavam reunidos desde o início da manhã.

O acordo encerrou quatro meses de incertezas na Alemanha, após as legislativas de setembro, que não tiveram um vencedor claro, mas confirmaram o avanço da extrema-direita e uma crescente fragmentação do panorama politico.

Mas o preço político para a chanceler por esta aliança - a única possível pera constituir uma maioria na Câmara - é muito elevado.

Para convencer o reticente SPD, Angela Merkel teve que ceder o ministério das Finanças, considerado pelos conservadores o fiador do rigor orçamentário na Alemanha e na zona do euro.

A ala mais à direita da CDU considerou a concessão um excesso e criticou a guinada centrista, no seu entender, adotada pela chanceler.

Para desativar a revolta desta parte da CDU, Merkel anunciou no domingo que o líder da ala mais à direita do partido, Jens Spahn, será o ministro da Saúde.

Sua presença deve refletir o fato de que o partido é plural, explicou a chanceler.

Aos 37 anos, Spahn, o opositor interno mais visível de Merkel, afirma que a CDU se tornou muito social-democrata.

Spahn, que já manifestou sua afinidade ideológica e de geração com o jovem chanceler austríaco Sebastian Kurz, que governa com a extrema-direita em seu país, defende uma política conservadora, especialmente em temas identitários e de imigração.

A mudança de direção foi rejeitada por Merkel, que deseja manter seu partido no centro do tabuleiro político.

Durante o congresso, Merkel pretende nomear como número dois do partido uma de suas aliadas mais leais, Annegret Kramp-Karrenbauer, de 55 anos.

A designação representaria o início da preparação da era pós-Merkel.

Annegret Kramp-Karrenbauer, católica, que governava até agora o pequeno estado regional de Sarre, tem posições mais conservadoras que as de Merkel.

Mas isto será suficiente para tranquilizar os rebeldes da CDU?

A promoção de Jens Spahn pode revelar-se um presente envenenado, com a obrigação do silêncio pelo dever de reserva imposto aos ministros.

É o pior castigo imaginável, ironizou o presidente do partido Alternativa para a Alemanha (AfD, extrema-direita, 13% dos votos nas legislativas de setembro), Jörg Meuthen.

Os outros cinco possíveis futuros ministros da CDU no governo de Merkel - caso os militantes do SPD aprovem a coalizão - são todos leais a Merkel.

 

Últimas Notícias

Centro está preparado para lançamento de foguete após acidente
Cidades brasileiras integram programa de preservação de florestas
MP denuncia ex-marido de corretora assassinada no Rio
Bolsonaro segue estável e internado no Hospital Albert Einstein
Goiás entra para a elite dos Estados mais competitivos do País
Petrobras eleva gasolina em 2 centavos; diesel permanece inalterado
MME faz consulta sobre planejamento da transmissão de energia elétrica
Inadimplência do consumidor subiu 3,63% em agosto

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212