Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


24 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Tesouro Direto bate recorde com 1,9 milhão de investidores cadastrados - Jornal Brasil em Folhas
Tesouro Direto bate recorde com 1,9 milhão de investidores cadastrados


O Tesouro Direto tem recorde de novos participantes: foram 82.568 investidores que passaram a fazer parte do programa em janeiro deste ano. Os números, antecipados na sexta-feira (23), fazem parte do Relatório Mensal da Dívida Pública Federal, divulgado hoje (26), em Brasília, pelo Tesouro Nacional. Com isso, o Tesouro Direto atingiu 1,9 milhão de investidores cadastrados, um aumento de 60% nos últimos 12 meses.

O número de investidores ativos chegou a 542 mil, uma variação de 35,1% nos últimos 12 meses. A maior parte das operações do programa é de até R$ 5 mil e elas responderam por 79% do total do Tesouro Direto, revelando uma grande presença de pequenos investidores.

O Tesouro Direto é um programa do Tesouro Nacional - desenvolvido em parceria com a Bolsa de Mercadorias e Futuros e Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) - BM&F Bovespa - para a venda de títulos públicos federais para pessoas físicas, por meio da internet. Ele foi criado em 2002 para democratizar o acesso aos títulos públicos, permitindo aplicações com apenas R$ 30.

Estoque cresce 13% em janeiro

O estoque do programa fechou janeiro com R$ 47,2 bilhões, aumento de 13% em relação a janeiro de 2017. Títulos indexados à inflação representaram mais de 60% do estoque.

Já o Tesouro Selic, indexado à taxa de juros básica da economia, concentrou os títulos mais demandados no mês passado: 41,2%.

Apesar do aumento no número de investidores, o Tesouro registra, desde agosto, emissão líquida negativa, ou seja, no período, foram feitos mais resgates do que emissões.

Números do programa

Em janeiro, esse resultado foi de R$ 1,668 bilhão negativo, decorrente de R$ 1,8 bilhão de vendas de títulos e R$ 3,4 bilhões de resgates. Em dezembro de 2017, esse resultado havia sido de R$ 42 milhões negativos. Em janeiro de 2017, R$ 268 milhões positivos, com mais vendas que resgates.

De acordo com o coordenador-geral de Operações da Dívida Pública, Leandro Secunho, o resultado se deve em parte ao grande número de vencimentos no mês, cujo valor chegou a R$ 2 bilhões.

Além disso, há a possibilidade de investidores buscarem outros tipos de investimento. Difícil fazer relação de um motivo ou outro, diz.

Ele ressalta que o programa tem mais caráter de educação financeira e nem tanto de financiamento da dívida pública, embora seja usado também para esse fim. Questionado sobre o impacto na dívida, ele diz que o resultado não apresenta risco, nem alteração de estratégia.

Edição: Kleber Sampaio

 

Últimas Notícias

Chega a 73 o número de mortos em explosão no México; feridos somam 74
Forte terremoto de magnitude 6,7 atinge o Chile
Mais de 150 imigrantes se afogam no Mar Mediterrâneo
Brasil e Europa vão ser interligados por novo cabo submarino
Acordo para mudar nome da Macedônia gera protestos em Atenas
Ghosn está disposto a aceitar qualquer condição para obter fiança
Bombeiros buscam pessoa desaparecida depois de tromba dágua no Rio
Mega-Sena acumula de novo e pode pagar R$ 38 milhões na quarta-feira

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212