Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Iêmen enfrenta condições catastróficas, segundo ONU - Jornal Brasil em Folhas
Iêmen enfrenta condições catastróficas, segundo ONU


As condições de vida no Iêmen são catastróficas após três anos de guerra, com risco crescente pela fome e pelo cólera, na pior crise da humanitária da história, disse nesta terça-feira (27) um alto funcionário da ONU.

O Conselho de Segurança está reunido para discutir a situação no Iêmen, um dia depois da Rússia vetar uma resolução do Reino Unido, apoiada por Estados Unidos e França, que teria pressionado o Irã por sua incapacidade de bloquear o envio de mísseis a rebeldes huthis do Iêmen.

Após três anos de conflito, as condições no Iêmen são catastróficas, disse John Ging, diretor de operações humanitárias da ONU.

As vidas das pessoas continuaram piorando. O conflito se intensificou desde novembro, afastando cerca de 100 mil pessoas de seus lares, afirmou Ging.

Um relatório da Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) indicou em janeiro que 22,2 milhões de iemenitas (76% da população) precisam de ajuda.

O risco de fome também cresce, com 8,4 milhões de pessoas confrontadas com a mazela, frente aos 6,8 milhões em 2017, segundo a OCHA.

Além disso, o cólera infectou mais de 1 milhão de pessoas desde abril de 2017, no pior surto do mundo, enquanto a difteria voltou ao país pela primeira vez desde 1982, disse Ging.

Desde 2015, a Arábia Saudita lidera uma coalizão militar no Iêmen para dar apoio ao governo do presidente Abd Rabo Mansur Hadi contra os rebeldes huthis xiitas, que controlam Saná, capital do país.

As partes continuaram com o padrão destrutivo de política de soma zero que levou o país a imergir em maior pobreza e destruição, disse o mediador da ONU no Iêmen, Ismaïl Ould Cheikh Ahmed.

A ONU classifica a guerra do Iêmen, que deixa mais de 9.200 mortos e cerca de 53 mil feridos, da pior crise humanitária no mundo.

Os Estados Unidos fazem pressão para condenar e sancionar Teerã após o lançamento de mísseis de fabricação iraniana à Arábia Saudita em 2017 por parte dos rebeldes huthis do Iêmen.

Para a Rússia, o relatório da ONU não traz nenhuma prova que culpe diretamente as autoridades iranianas.

 

Últimas Notícias

Bolsonaro elogia Mandetta e Wagner Rosário, ministros anunciados hoje
Atos em Brasília marcam os 50 anos da Receita Federal
Temer pede que brasileiros reflitam sobre questão racial
Grafiteira faz mural de 500 m2 no Rio para homenagear mulheres negras
Dia da Consciência Negra é comemorado no Rio com homenagem a Zumbi
Estados poderão decidir se darão aulas a distância no ensino médio
Moro escolhe delegados da Lava Jato para PF e departamento do MJ
Estudante poderá escolher área a ser avaliada no segundo dia do Enem

MAIS NOTICIAS

 

Estimativa do mercado para inflação cai pela quarta vez seguida
 
 
Autoridades de Cuba anunciam retorno de médicos antes do fim do ano
 
 
Guatemala monitora atividades de vulcão que pode ter novas erupções
 
 
Ex-CEO da Nissan é preso no Japão suspeito de reduzir próprio lucro
 
 
Governador eleito do Rio promete nova concessão para o Maracanã
 
 
Relatório alerta que há 45 barragens sob ameaça de desabamento

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212