Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


14 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Dior celebra 1968 e Saint Laurent traz um discoteca para Torre Eiffel - Jornal Brasil em Folhas
Dior celebra 1968 e Saint Laurent traz um discoteca para Torre Eiffel


As flores e cores vivas características do espírito hippie de 1968 inundaram nessa terça-feira (27) o último desfile feminista da Dior em Paris, obviamente com a presença de celebridades.

Desde sua chegada à maison, em meados de 2016, a diretora artística Maria Grazia Chiuri agitou a bandeira feminista e este aceno para o outono-inverno não foi uma exceção, ao inaugurá-lo com um suéter branco e verde e a frase estampada no centro: Cest non non non et non (Não É Não).

Essa frase estava nos arquivos de Christian Dior... Acredito que por vezes é bom dizer não, não, não. Além disso, também chamo minha filha de Senhora Não, disse a estilista italiana em entrevista.

Em pleno furacão criado pelo escândalo Weinstein e a campanha #MeToo, o roupa é suscetível de se transformar rapidamente em um clássico dos fashionistas, como a primeira camiseta militante lançada por Chiuri com o slogan We should all be feminists (Deveríamos todos ser feministas) e que no site da Dior cuesta 550 euros (670 dólares).

A mensagem de reivindicação se espalhou por toda a cenografia do Museu Rodin de Paris, com as paredes cobertas com recortes de revistas especializadas como Vogue, Elle e Cosmopolitan, fotografias dos anos 1970 e frases como Women rights are human rights (Direitos das mulheres são direitos humanos).

- Minissaias para sempre -

Queria fazer uma homenagem a essas publicações que apoiaram em grande escala a liberação das mulheres, disse a estilista.

Nesse universo, a estilista apresentou uma coleção de prêt-à-porter inspirada no movimento de maio de 1968 e trouxe uma onda de calor a um dia de frio siberiano em Paris, com uma paleta de cores que incluiu amarelo, laranja, vermelho e lilás, combinada com estampas e patchworks.

Feminismo significa liberdade. E o ponto de partida foram as revoluções de 1968. Quis saber o que aconteceu na Dior em 1968 e encontrei essa história divertida de mulheres que protestaram na loja (de Londres) porque queriam mais minissaias, disse Chiuri em alusão a uma imensa fotografia exposta em branco e preto em que uma mulher exibe um cartaz que diz: Minissaias para sempre.

O chapéu gavroche (inspirado no personagem do romance Os Miseráveis, de Victor Hugo) e os óculos de sol quadrados representam o denominador comum dos looks, em que os vestidos transparentes revelavam sutiãs esportivos sem aros e shorts. As bolsas são carregadas a tiracolo e os cintos são pretos, grossos e bem ajustados à cintura.

A plateia da Dior não decepcionou, com celebridades e fashionistas aos montes.

A atriz e modelo britânica Cara Delevingne e a atriz francesa Isabelle Huppert assistiram ao desfile.

- Pernas de fora na Saint Laurent

O segundo dia da Semana de Moda foi marcado também pelo desfile noturno da Saint Laurent, em que o diretor artístico Anthony Vaccarello exaltou as pernas femininas, deixando-as descobertas em quase todos os looks e emolduradas por pesadas sandálias de salto plataforma.

As modelos usavam ombreiras quadradas que destacavam as costas. O couro e o preto, no estilo roqueiro, voltaram ao desfile da marca.

A passarela foi instalada em frente à Torre Eiffel, recriando uma pista de discoteca, com projetores e espelhos.

Desfilaram também modelos masculinos em um visual roqueiro-dandy, com cabelos longos, vestidos de preto e cinza.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212