Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Julgamento de apelação de Radovan Karadzic será em abril - Jornal Brasil em Folhas
Julgamento de apelação de Radovan Karadzic será em abril


O julgamento da apelação de Radovan Karadzic, ex-dirigente dos sérvios da Bósnia, condenado em 2016 a 40 anos de prisão em particular por genocídio, será celebrado em abril próximo, em Haia.

A audiência de apelação de Karadzic, de 72 anos, será realizada em Haia em 23 e 24 de abril, anunciou, em um comunicado, Theodor Meron, presidente do Mecanismo para os Tribunais Penais Internacionais (MTPI), que tomou o lugar do Tribunal Penal Internacional para a antiga Iugoslávia (TPII).

Em março de 2016, os juízes do TPII declararam Karadzic culpado de genocídio pelo massacre de 8.000 homens e meninos muçulmanos em julho de 1995, em Srebrenica, o pior massacre cometido na Europa desde a Segunda Guerra Mundial.

Karadzic também foi condenado por perseguição, assassinatos, violações e tratamento desumano ou deslocamentos forçados, sobretudo durante o sítio de Sarajevo, que durou 44 meses e no qual morreram umas dez mil pessoas, e por implantar campos de detenção onde as condições de vida eram desumanas.

Karadzic, que apresentou a apelação, avalia que os juízes o consideram um suposto culpado e construíram um processo para justificar essa presunção, afirmou seu advogado após a condenação em primeira instância.

Após ter pedido a prisão perpétua, o promotor do TPII Serge Brammertz também entrou com uma apelação, consideram que 40 anos de prisão não eram uma pena suficiente.

Radovan Karadzic é o mais alto dirigente julgado pelo tribunal de crimes cometidos na guerra dos Bálcãs, após a morte, em 2006, do ex-presidente sérvio Slobodan Milosevic, durante o processo.

Karadzic era o presidente da entidade sérvia da Bósnia, a Republika Srpska. A guerra da Bósnia deixou mais de cem mil mortos e 2,2 milhões de deslocados entre 1992 e 1995.

Ratko Mladic, ex-chefe militar dos sérvios da Bósnia, conhecido como Açougueiro dos Bálcãs, foi condenado pelo TPII em novembro à prisão perpétua por genocídio, crimes contra a humanidade e de guerra. Também anunciou que apelaria de sua sentença.

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212