Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Celulares com sensores para monitorar os idosos - Jornal Brasil em Folhas
Celulares com sensores para monitorar os idosos


Os smartphones podem facilitar que as pessoas mais idosas continuem morando em suas casas graças a diferentes sistemas de sensores que alertam seus familiares ou cuidadores em caso de alguma anomalia.

O setor da tecnologia para cuidar de idosos é um mercado crescente, e um grande número de fabricantes apresentaram suas últimas novidades no Mobile World Congress (MWC), a maior feira da indústria móvel, que acontece até quinta-feira em Barcelona.

O objetivo é conseguir um lugar no mercado sênior, que deve atingir um valor de 20 bilhões de dólares em 2020 só nos Estados Unidos, de acordo com a analista Laurie Orlov.

O interesse no setor é crescente: por um lado, a geração do baby boom está envelhecendo e representa um amplo segmento do mercado, e por outro os sensores ficam mais baratos e tornam o negócio mais viável, indicou Orlov.

- Respeito à privacidade? -

A start-up londrina Voltaware mostrou um sistema que utiliza um sensor instalado na caixa de fusíveis da residência. Este dispositivo transmite os dados de consumo elétrico via wi-fi a um servidor virtual que os analisa.

Se a pessoa idosa não se levanta pela manhã e liga a cafeteira, como é habitual, o sistema detecta a falta de atividade e o cuidador é avisado através de uma mensagem de texto.

O serviço está sendo oferecido em período de testes por duas companhias elétricas no Reino Unido e uma na Itália.

Se fosse feito com câmeras, seriam necessárias várias para ver a imagem completa, o que é caro. Nosso sistema não é muito caro porque só é necessário um sensor por residência, disse o presidente da Voltaware, Sergey Ogorodnov.

Outro sistema, desenvolvido pela companhia israelense Vayyar, especializada em imagem 3D, utiliza ondas de rádio para detectar em que quarto a pessoa se encontra.

O sistema, que requer um só sensor no centro do imóvel, permite identificar se a pessoa está sentada, em pé, deitada e inclusive se está respirando. Se cai ou para de respirar, seu cuidador recebe um alerta.

Em relação às possíveis preocupações com a privacidade dos usuários ante esta monitorização, os fabricantes argumentam que são os próprios idosos que costumam pedir estes sistemas e que podem desligá-los quando quiserem.

Além disso, os sensores não gravam imagens como os sistemas de videovigilância, de modo que seu uso é mais apropriado em espaços pessoais como banheiros, disse o diretor de marketing da Vayyar, Malcolm Berman.

Os sensores te permitem uma monitorização realmente sofisticada sem ter que se preocupar com as questões de privacidade, disse.

- Envelhecimento demográfico -

Espera-se que a necessidade de produtos tecnológicos que ajudem os idosos a viver em casa por mais tempo cresça consideravelmente no futuro, dadas as atuais tendências demográficas mundiais.

Globalmente, a população maior de de 60 anos deve se multiplicar até 2100, crescendo até 3,1 bilhões, em comparação com os 962 milhões atuais, segundo as estimações das Nações Unidas.

Para 2050, está previsto que mais de um terço da população europeia tenha 60 anos ou mais.

A empresa sueca de telecomunicações Doro, líder do mercado em telefones celulares fáceis de usar para idosos, revelou um sistema de monitorização de residência baseado em sensores que pode mandar um texto se os usuários caírem ou deixarem a geladeira aberta.

Em um futuro próximo, os sensores poderiam ser usados, inclusive, para prever quando uma pessoa está a ponto de cair.

A start-up canadense Aerial patenteou um sistema que analisa o comportamento humano em uma casa seguindo as alterações no sinal do wi-fi quando uma pessoa se move.

A informação está disponível em um aplicativo, permitindo aos familiares controlarem se seu parente se levantou, por exemplo.

A companhia trabalha em uma versão mais avançada que alerta quando a pessoa está em risco de cair, ao detectar mudanças bruscas na velocidade de seu passo.

Há um forte desejo de que os idosos vivam em casa o máximo de tempo que puderem. Qualquer tipo de independência que possam manter é ótimo, disse o diretor de projetos da Aerial, Jon Druker.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212