Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


14 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Relatório da OCDE sugere ao Brasil aumentar o investimento para poder crescer - Jornal Brasil em Folhas
Relatório da OCDE sugere ao Brasil aumentar o investimento para poder crescer


O Brasil precisa aumentar o investimento para poder crescer mais, de acordo com o secretário-geral da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), Angel Gurría. Relatório apresentado hoje (28) mostra que o país ocupa uma das piores posições entre os países membros e parceiros do grupo.

No ranking dos países da OCDE, o Brasil aparece na quarta pior posição de investimento em relação ao Produto Interno Bruto (PIB), considerados os valores de 1990 a 2016. Nesse período, o investimento do país não chegou a 20% do PIB – soma de todos os bens e serviços produzidos pelo país.

Segundo o relatório da OCDE, o nível do investimento tem declinado continuamente desde 2013 e está baixo na comparação internacional. O investimento de hoje é o crescimento de amanhã. Uma baixa taxa de investimento hoje quer dizer que o potencial de crescimento amanhã diminui, disse Gurría.

Investimento e produtividade são desafios de todos os países do mundo, mas não é um consolo para os brasileiros que têm um grande desafio de produtividade e de investimento, [o Brasil] tem uma das taxas de investimento mais baixas comparada com os países da OCDE, acrescenta o secretário-geral.

O relatório ressalta que um maior nível de investimento elevaria o potencial de crescimento da economia e fortaleceria o crescimento da produtividade, possibilitando aumentos salariais sem colocar em risco a competitividade dos produtores domésticos.

Acesso a financiamento

De acordo com a OCDE, o acesso a financiamento e os altos custos do crédito são grandes obstáculos ao investimento no Brasil. A organização ressalta a necessidade da entrada de outras fontes de financiamento nos mercados de crédito, hoje dominados pelo Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES). De acordo com o relatório, 53% dos empréstimos para infraestrutura foram estendidos pelo BNDES, cujos recursos serão insuficientes para cobrir as necessidades futuras de infraestrutura.

O BNDES poderia evoluir, deixando de ser a principal fonte de financiamento de infraestrutura no Brasil para servir como catalisador da mobilização de financiamento privado, inclusive do exterior. Exigir co-financiamento privado em empréstimos do BNDES é uma maneira de envolver os credores privados, recomenda.

Abertura ao mercado externo

Outro ponto destacado por Gurría é a constatação da OCDE de que o Brasil é pouco integrado à economia global. Com as exportações e as importações em menos de um quarto do PIB, o Brasil está significativamente menos integrado à economia mundial do que outros mercados emergentes de tamanho similar. As altas barreiras comerciais impedem que o Brasil aproveite os diversos benefícios de uma economia global cada vez mais integrada, diz o documento.

Os custos de exportação, de transporte, fazem mais caras as exportações brasileiras, diz Gurría, que ressalta a necessidade do Brasil fortalecer vínculos comerciais e abrir mais o mercado.

Criada em 1961, a OCDE reúne economias desenvolvidas, como Estados Unidos, Japão e países da União Europeia, sendo vista como um “clube dos ricos” apesar da entrada de economias emergentes. São 35 pai ses-membros. O Brasil acompanha as atividades do grupo desde 1994 e tramita, desde 2017, um pedido de adesão à organização.

Edição: Lidia Neves

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212