Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


24 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Odebrecht: ex-candidato presidencial tem bens congelados na Guatemala - Jornal Brasil em Folhas
Odebrecht: ex-candidato presidencial tem bens congelados na Guatemala


Cerca de 39 imóveis e 20 veículos do ex-candidato à Presidência da Guatemala, o empresário de direita Manuel Baldizón, foram congelados como parte da investigação contra o político por supostos subornos recebidos da empreiteira Odebrecht, informou a Procuradoria nesta quinta-feira (1).

Baldizón está detido por autoridades migratórias nos Estados Unidos desde janeiro, depois que tentou entrar neste país sem permissão legal, pouco antes de ser vinculado ao caso Odebrecht, empresa assinalada de pagar propinas no país para a construção de uma estrada e a campanha do ex-candidato.

Com base nas investigações sobre o tema conseguimos bloquear os bens atribuídos a Manuel Antonio Baldizón Méndez, que é acusado de associação criminosa, suborno passivo e lavagem de dinheiro no caso conhecido como Odebrecht, disse a jornalistas Yecenia Enríquez, porta-voz do Ministério Público.

Os bens imóveis, entre eles terrenos, casas e edifícios, se encontram nos departamentos de Guatemala (centro), Alta Verapaz e Petén (norte), os quais foram bloqueados enquanto o processo em extinção de domínio continua, a fim de demonstrar a possível origem ilícita dos mesmos, acrescentou.

Segundo as investigações, a Odebrecht pagou 17,9 milhões de dólares em propinas na Guatemala para a construção de uma estrada e para a campanha presidencial do empresário Manuel Baldizón.

Do total de subornos, a Odebrecht entregou entre 2013 e 2014 cerca de nove milhões de dólares ao então ministro de Comunicações Alejandro Sinibaldi, agora foragido, para obter a concessão de reforma e ampliação de uma estrada no sudoeste, que tinha um custo de 300 milhões de dólares.

A obra não foi terminada, mas a Odebrecht recebeu 249 milhões. Entre outros beneficiados pelos subornos destacam-se empresários e advogados, alguns já detidos pelo caso.

A Odebrecht pagou para Baldizón 1,3 milhão de dólares, dos três milhões que foram acordados, a maior parte para sua campanha política de 2015. Baldizón ficou em terceiro lugar nas eleições daquele ano, fora do segundo turno, que foi vencido pelo ex-humorista de televisão Jimmy Morales.

Um juiz do estado da Flórida, onde Baldizón está detido, marcou uma audiência para resolver sua situação em 12 de março.

 

Últimas Notícias

Varejo perde R$ 19,5 bilhões em 2017 por danos em produtos e furtos
A partir deste sábado, candidatos só podem ser presos em flagrante
Brasileiros não se sentem prontos para lidar com a morte, diz pesquisa
Aos 95 anos, Gervásio Baptista recebe Medalha do Mérito Jornalístico
PF combate grupo criminoso responsável por contrabando de cigarros
Primavera começa hoje com possibilidade de novo episódio do El Niño
Facebook anuncia medidas para combater contas falsas e desinformação
Polícia Militar faz operação na Rocinha

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212