Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Estudante atira e mata os pais em universidade dos EUA - Jornal Brasil em Folhas
Estudante atira e mata os pais em universidade dos EUA


Disparos na Universidade Central de Michigan ocorrem duas semanas depois de 17 pessoas morrerem em um ataque a tiros na escola Marjory Stoneman Douglas, na Flórida

Um estudante atirou e matou seus pais no campus da Universidade Central de Michigan nesta sexta-feira (2), antes de fugir e dar início a uma busca que já dura horas, informaram autoridades.

O incidente, ocorrido no início desta manhã, levou a bloqueios no campus. Alguns alunos ficaram presos nas salas e nos dormitórios até o meio da tarde, enquanto a Polícia realizava uma grande busca pelo suposto atirador.

James Eric Davis, de 19 anos, identificado como universitário, ainda está foragido. Ele é acusado de matar seu pai, um policial, e sua mãe em um ataque a tiros dentro de um dos prédios de dormitórios. O porta-voz da Polícia da universidade descreveu como um tipo de problema familiar.

Não houve outras mortes.

O campus, localizado na cidade de Mount Pleasant, no centro de Michigan, ficou fechado por horas após o ataque a tiros às 08h30 (10h30 de Brasília), enquanto as autoridades federais, estaduais e locais procuravam por Davis usando helicópteros e cães policiais.

Oficiais fortemente armados se espalharam por toda a cidade, e moradores e estudantes tiveram que permanecer onde estavam e trancar as portas.

Funcionários da universidade anunciaram às 15h00 (17h00 de Brasília) que os alunos foram escoltados pela Polícia no momento de deixarem os edifícios.

Agentes uniformizados estão ajudando as pessoas a deixar os prédios do campus. Eles irão passar em cada prédio, afirmou a universidade em comunicado.

- Suspeito conhecido pela Polícia -

Davis, que mora no estado vizinho de Illinois, mas frequentava a faculdade em Michigan, era conhecido por agentes.

A Polícia o levou ao hospital na noite anterior aos disparos por um tipo de incidente relacionado com drogas: uma superdose, ou uma má reação às drogas, informou o porta-voz da Polícia do campus, Larry Klaus, em coletiva de imprensa.

Ele foi liberado pela equipe do hospital, informou Klaus.

Um legislador do estado de Illinois identificou as vítimas de Davis como seus pais, que viviam em um subúrbio de Chicago.

O ataque a tiros na Universidade Central de Michigan hoje atingiu perto de casa, tuitou o representante do estado, Emanuel Welch.

Minhas mais sinceras condolências à família do agente da Polícia de Bellwood, James Davis Sr, e sua esposa, que foram baleados e mortos.

Não ficou claro qual o tipo de arma que Davis usou, ou como ele a adquiriu.

O estado de Michigan permite o porte de armas com uma autorização, enquanto a Universidade Central de Michigan as proíbe em todo o campus.

A reação aos disparos foi rápida nesta sexta-feira de manhã, com múltiplos alertas nas redes sociais e nos celulares poucos minutos após o incidente.

Foi pedido às pessoas que estavam fora do centro que se mantivessem distantes da zona, muitos deles pais que iam buscar seus filhos, já que em um dia o campus fechava pelo começo do spring break.

- Ataque a tiros na Flórida -

Os disparos foram feitos em meio a um renovado debate nos Estados Unidos sobre a violência com armas de fogo e o papel das forças de ordem em deter os possíveis atiradores, iniciado depois que 17 pessoas morreram em um ataque a tiros na escola secundária Marjory Stoneman Douglas, na Flórida.

Nikolas Cruz, o responsável pelo ataque a tiros na Flórida, tinha antecedentes criminais por confrontos com as forças de ordem, que se viram atingidas por não terem evitado a tragédia apesar das múltiplas advertências recebidas.

Cruz usou um fuzil de assalto semiautomático em seu ataque, o que levou os alunos da escola a fazerem apelos públicos por mudanças nas leis de armas do país.

O presidente Donald Trump sugeriu treinar e armar alguns professores, realizar verificações mais rígidas de antecedentes criminais e um possível aumento na idade mínima para comprar um fuzil.

Mas a poderosa Associação Nacional do Rifle anunciou que Trump se opunha ao controle de armas, após um encontro com ele na quinta-feira.

 

Últimas Notícias

Submarino argentino é encontrado um ano e um dia após desaparecimento
Parlamento cubano rejeita resolução da Eurocâmara sobre direitos human
Incêndio da Califórnia registra 74 mortos e mais de mil desaparecidos
Livro mistura suspense e fantasia em reflexão sobre violência no país
EBC e Fundação Getulio Vargas firmam acordo para revitalizar acervo
Trabalho de escoramento em viaduto paulistano prossegue neste sábado
Belo Horizonte tem previsão de mais chuva; temporais já mataram quatro
Prefeito de Mariana diz que não desistirá de ação no Reino Unido

MAIS NOTICIAS

 

Morre em Pelotas o criador da camisa canarinho, Aldyr Schlee
 
 
Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017
 
 
Jungmann e Toffoli anunciam sistema para unificar processos de presos
 
 
Pensamento liberal deve guiar a equipe econômica de Bolsonaro
 
 
Gold3-4 minutosfajn permanecerá à frente do BC até Senado aprovar Campos Neto
 
 
Senado argentino aprova orçamento de 2019 como prometeu ao FMI

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212