Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


14 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Justiça proíbe nova internação de adolescente em unidade socioeducativa no Rio - Jornal Brasil em Folhas
Justiça proíbe nova internação de adolescente em unidade socioeducativa no Rio


Uma decisão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro proibiu o estado de internar adolescentes e jovens no Educandário Santo Expedito para cumprir medida socioeducativa. Além de não receber novos internos, o educandário deverá ser esvaziado gradualmente.

Em uma ação civil pública de 2005, a Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro pediu que fosse suprida a carência de profissionais e a construção de unidades adequadas, o que foi acolhido pela Justiça. Caso não fossem cumpridas as medidas, a defensoria pediu a interdição do educandário, o que deve ocorrer nos próximos meses.

O Educandário Santo Expedito, uma vez que o Estado do Rio de Janeiro, intimado e ciente da sentença proferida nessa ação civil pública, ficou inerte e sequer apresentou os locais para a construção de unidades, precisa, agora, ser interditado. Assim, acolhendo o requerimento da Defensoria Pública, como parte autora, o fechamento é determinado, para ocorrer de forma gradual, ao longo dos próximos meses, a partir da reavaliação da medida socioeducativa individualmente executada por cada jovem internado, ficando impedido o ingresso de novos internos no Educandário Santo Expedito, a partir da presente data”, decidiu a juíza Lúcia Glioche, titular da Vara de Execuções de Medidas Socioeducativas.

O educandário recebeu adolescentes em caráter provisório após uma rebelião em 1997 em outra unidade do Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase), mas a detenção no local se estende até hoje. Além disso, a unidade fica em um prédio junto ao Complexo Penitenciário de Bangu, o que é proibido pela Lei 12.594/12.

Adolescentes mortos

No último fim de semana, dois adolescentes foram encontrados mortos em um alojamento do educandário. Em nota, o Degase informou que dois jovens foram assassinados por outros adolescentes na madrugada de sábado.

Para a Defensoria Pública do Rio de Janeiro, o Estado deve ser responsabilizado e pagar indenização pelo assassinato, já que a unidade está superlotada e tem condições precárias, segundo a defensora pública Maria Carmem de Sá.

Em nota, o Degase informou que o caso está sendo investigado pela Polícia Civil e pela Corregedoria do Departamento. Os adolescentes envolvidos vão responder a novo processo judicial por ato infracional praticado durante o cumprimento de medida socioeducativa. No comunicado, o Degase ainda informou que presta o auxílio necessário aos familiares das duas vítimas.

O Departamento afirmou que cumprirá a decisão judicial e alegou que garante o atendimento a todos os jovens que cumprem medidas socioeducativas, servindo cinco refeições diárias e ofertando atividades de cultura, esporte e lazer, além de possuir uma escola estadual dentro de cada unidade de internação.

O órgão destaca que tem parcerias com o Ministério do Trabalho e Emprego e Petrobras para oferecer capacitação aos internos e ressalta que repudia atos de violência que possam ocorrer no interior da unidade.

Edição: Valéria Aguiar

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212