Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


14 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Obra da Sabesp concede água para 39 milhões de pessoas no Rio e em SP - Jornal Brasil em Folhas
Obra da Sabesp concede água para 39 milhões de pessoas no Rio e em SP


Foi entregue hoje (3) pelo governo estadual na cidade de Nazaré Paulista, no interior paulista, uma obra da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), que aumenta a disponibilidade de água para 39 milhões de pessoas nos estados de São Paulo e do Rio de Janeiro. A obra consiste na interligação Jaguari-Atibainha que conecta duas bacias hidrográficas diferentes. Com isso será possível transferir água de uma região para a outra de acordo com a necessidade.

A obra, que teve investimento de R$ 555 milhões financiados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), beneficia a região metropolitana de São Paulo, de Campinas, o Vale do Paraíba e o estado do Rio de Janeiro, incluindo a capital. A partir de hoje a água está sendo bombeada em operação assistida em direção à represa Atibainha, que faz parte do Sistema Cantareira, que poderá receber 162 bilhões de litros por ano.

Segundo informações da Sabesp, a água captada na represa Jaguari, em Igaratá, no Vale do Paraíba, percorre quase 20 quilômetro para chegar à represa Atibainha, em Nazaré Paulista. “Seis bombas vão impulsionar a água morro acima para superar a montanha que separa as duas represas. Serão 5.130 litros de água por segundo para o Cantareira. Esta vazão passa pela estação de tratamento suficiente para abastecer 1,5 milhão de pessoas”, diz a Sabesp.

De acordo com a companhia, o sentido inverso está em fase final de construção e aproveitará o mesmo túnel e a mesma adutora. “A água da represa Atibainha poderá também ser bombeada até a represa Jaguari, que pertence à bacia do Paraíba do Sul. Dessa forma, aumentará a segurança hídrica de todas as cidades que captam água dessa bacia. Isso inclui o Vale do Paraíba e a Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Serão 12.200 litros de água por segundo.”

Segundo o governador Geraldo Alckmin, a obra trará segurança hídrica para o estado enfrentar grandes mudanças climáticas. “Quando chove demais a gente guarda água. Quando faz seca, a gente tem água guardada. Isto vai beneficiar muito a região de Campinas, a região metropolitana de São Paulo e até o Rio de Janeiro, porque é mão dupla. Quando sobra aqui guarda no Jaguari e vice-versa. Até dia 31 deste mês para inauguarar o sentido inverso”.


Edição: Valéria Aguiar

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212