Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Influente político sul-coreano renuncia após acusações de estupro - Jornal Brasil em Folhas
Influente político sul-coreano renuncia após acusações de estupro


Um ex-candidato presidencial da Coreia do Sul renunciou nesta terça-feira ao cargo de governador provincial e anunciou sua aposentadoria da política depois que uma assistente o acusou de vários estupros.

O caso, que explodiu em meio à campanha #Metoo na Ásia, parece acabar com a carreira política de Ahn Hee-jung, um homem que, no ano passado, chegou a ser o segundo na corrida para a liderança do Partido Democrata - no poder - , atrás do vencedor Moon Jae-in, e considerado por alguns analistas como um de seus possíveis sucessores.

É a personalidade mais importante da Coreia do Sul a ser arrastada pelo movimento contra os abusos sexuais, que, como no resto do mundo, fez sentir-se no país.

Kim Ji-eun, que se tornou colaboradora de Ahn para assuntos civis depois de ter sido sua assistente pessoal, acusou-o de tê-la estuprado quatro vezes depois de ter sido contratada em junho.

Segundo relatou ao canal de televisão JTBC, uma vez, quando ele a convocou ao seu escritório em 25 de fevereiro para pedir desculpas por ter lhe feito mal, mencionou o movimento #MeToo.

E então ele me estuprou novamente, declarou, segurando o choro. A ex-assistente também acusou o político de ter cometido agressões sexuais contra outras mulheres.

Ele sempre me disse para não expressar minhas opiniões e viver na sua sombra. Eu não podia dizer não, porque sabia o quão poderoso ele era.

Após essa entrevista, o Partido Democrata expulsou Ahn com efeito imediato.

Poucas horas depois, o próprio político anunciou sua renúncia como governador da província de Chungcheong do Sul e também sua aposentadoria da vida pública.

Apresento minhas desculpas a todos, e especialmente à senhorita Kim Ji-eun, escreveu no Facebook. Peço-lhe que perdoe minhas estúpidas artimanhas, foi tudo culpa minha.

Por sua parte, a assistente Kim explicou que escolheu revelar este caso porque temia por sua segurança pessoal. Tenho medo de todas as mudanças que podem ocorrer na minha vida após essas revelações, mas tenho mais medo do governador Ahn Hee-jung, admitiu.

Ahn gozava até agora de uma grande popularidade entre a juventude de esquerda graças à imagem que transmitia de honestidade e um físico cativante que lhe valeu o apelido de EXO South Chungcheong, em referência a uma famosa banda de K-pop.

O político, uma figura jovem na cena política da Coreia do Sul, também foi comparado ao ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama.

A função de governador é considerada o melhor trampolim para uma candidatura presidencial na Coreia do Sul, este caso ocorre quando os conservadores ainda tentam se recuperar do escândalo de corrupção que levou à queda da ex-presidente Park Geun-hye (2013-2017).

Pouco antes das acusações da assistente, Ahn havia defendido publicamente a campanha #MeToo.

 

Últimas Notícias

Inep divulga resultado do Enem
Frédéric Lamotte é o novo diretor geral da CA Indosuez Wealth (Miami) e responsável Global da região das Américas
A ACIRLAG chega para impulsionar o setor econômico da região Leste de Aparecida
Inep divulga notas do Enem na sexta-feira
Bolsonaro sanciona Lei do Orçamento 2019 de mais de R$ 3,3 trilhões
Parlamento venezuelano aprova acordo para entrada de ajuda humanitária
Imigrantes hondurenhos sofrem com obstáculos para passagem de caravana
Militares vão atuar de forma mais intensa no Programa Mais Médicos

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212