Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Trump saúda disposição da Coreia do Norte de discutir programa nuclear - Jornal Brasil em Folhas
Trump saúda disposição da Coreia do Norte de discutir programa nuclear


O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, saudou nesta terça-feira (6) a disposição da Coreia do Norte de discutir um eventual abandono de seu polêmico programa de armas nucleares em troca de garantias de segurança.

Os líderes de Coreia do Norte e Coreia do Sul concordaram em realizar uma cúpula em abril na Zona Desmilitarizada, depois que Pyongyang sugeriu a possibilidade de renunciar a suas armas atômicas se obtiver garantias para sua segurança nacional, informou nesta terça Chung Eui-yong, emissário do presidente sul-coreano, Moon Jae-in.

Durante um breve contato com jornalistas no Salão Oval da Casa Branca, Trump disse nesta terça-feira que as declarações feitas após o encontro entre as delegações coreanas eram muito positivas.

Acho que as declarações que chegam da Coreia do Sul e da Coreia do Norte foram muito positivas, declarou Trump, para acrescentar que a substituição da tensão pelo diálogo com Pyongyang seria muito boa para todo mundo e para a península coreana.

Em uma coletiva de imprensa posterior, Trump avaliou que os dirigentes norte-coreanos são sinceros em sua oferta de diálogo, mas apontou que são sinceros também pelas sanções e por tudo o que estivemos fazendo sobre a Coreia do Norte.

Por isso acho que são sinceros. Espero que sejam sinceros. Logo saberemos, acrescentou, em uma evidente amostra de cautela.

- Diálogo franco -

Chung liderou uma delegação sul-coreana que visitou a capital norte-coreana e foi recebida pelo líder Kim Jong Un, e, ao retornar a Seul, surpreendeu o mundo com a proposta que lhe foi apresentada.

De acordo com Chung, Kim está disposto a falar sobre a desnuclearização em conversas com os Estados Unidos, o que poderia constituir a concessão crucial necessária para permitir o diálogo.

Pyongyang deixou claro que não há motivos para ter (armas) nucleares caso sejam retiradas as ameaças militares contra a Coreia do Norte e se garanta a segurança de seu regime, afirmou.

Também expressou sua vontade de manter um diálogo franco com os Estados Unidos para discutir o tema da desnuclearização e normalizar as relações entre Coreia do Norte e Estados Unidos.

Durante o diálogo, o regime norte-coreano prometeu suspender os testes nucleares e de mísseis, afirmou Chung.

O governo dos Estados Unidos insiste há muito tempo que a Coreia do Norte deve dar passos concretos para a desnuclearização como condição prévia.

Por isso, nesta mesma terça-feira, o vice-presidente americano, Mike Pence, disse que Washington irá manter pressão máxima sobre a Coreia do Norte até que dê passos claros para a desnuclearização.

Os Estados Unidos e seus aliados seguem firmes em impor a pressão máxima sobre o regime de Kim (Jong Un) para acabar com seu programa nuclear, apontou.

Um alto funcionário da administração de Trump disse nesta terça-feira que Washington pretende manter seus exercícios militares conjuntos com a Coreia do Sul, apesar da brecha diplomática.

Depois dos Jogos Olímpicos e dos Jogos Paralímpicos (de inverno) é natural que nossa rotina de exercícios defensivos seja retomada, disse o funcionário, que pediu para não ser identificado.

O diretor nacional de Inteligência, Dan Coats, disse ao Comitê de Serviços Armados do Senado americano que se sentia bastante cético com relação a esta situação. Talvez isso seja um grande avanço. Duvido seriamente, acrescentou.

- ONU disposta a ajudar -

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, se disse alentado pelo rumo das conversações entre as duas Coreias e a perspectiva de uma negociação sobre a eliminação das armas nucleares na Península coreana.

Os últimos acontecimentos representam progressos para se estabelecer as bases da retomada de um diálogo sincero, para uma paz sustentável e para a eliminação das armas nucleares da península coreana.

O secretário-geral manifestou a necessidade de proteger este momento e aproveitar a oportunidade de se encontrar um caminho pacífico no futuro.

Obviamente estamos motivados por estas discussões, declarou mais cedo o porta-voz da ONU, Stephane Dujarric.

Os anúncios desta terça-feira representam os avanços mais recentes da aproximação registrada na península da Coreia com os Jogos de Inverno e acontecem após um ano de grandes tensões.

Estas se aprofundaram depois que a Coreia do Norte realizou seu teste nuclear de maior potência e vários lançamentos de mísseis, incluindo alguns com capacidade para atingir o território continental americano.

O clima ficou ainda mais tenso com a troca de insultos pessoais e ameaça apocalípticas entre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder norte-coreano. O primeiro chamou o segundo de pequeno homem foguete, enquanto Kim disse que o americano era um velho doente mental.

Na noite deste terça-feira, o departamento de Estado revelou que Pyongyang encomendou o assassinato de Kim Jong-Nam, meio-irmão e adversário em potencial de Kim Jong-Un.

O meio-irmão do líder norte-coreano foi morto no ano passado com o agente neurotóxico VX borrifado em seu rosto por duas mulheres quando estava no Aeroporto de Kuala Lumpur, na Malásia.

Este desprezo público pelas normas universais contra o uso de armas químicas demonstra uma vez mais a natureza impiedosa da Coreia do Norte e destaca que não podemos nos permitir tolerar um programa norte-coreano de armas de destruição em massa de nenhum tipo, disse Nauert em um comunicado.

Kim Jong-Nam chegou a ser visto como o herdeiro natural de seu pai, Kim Jong-Il, e alguns relatórios sugerem que a China o considerou um substituto em caso de crise.

- Linha de comunicação -

A cúpula entre as Coreias acontecerá no final de abril na localidade de Panmunjom, na Zona Desmilitarizada (DMZ) que separa a Coreia do Norte da Coreia do Sul, e será precedida por uma conversa telefônica entre Kim Jong Un e Moon Jae-in.

Os dois países também concordaram com a abertura de uma linha de comunicação direta de emergência entre seus dois dirigentes, informou Chung Eui-yong.

Esta será a terceira reunião de cúpula entre os dirigentes dos dois países desde o fim da guerra da Coreia (1950-1953). As anteriores aconteceram em 2000 e em 2007.

O Sul e o Norte estão de acordo sobre uma linha de comunicação de emergência entre os dirigentes para desativar as tensões militares e para uma coordenação estreita, afirmou o representante sul-coreano.

Chung e os diplomatas sul-coreanos que o acompanharam a Pyongyang são os principais representantes do governo da Coreia do Sul a viajar ao Norte em mais de 10 anos.

Os emissários sul-coreanos devem viajar na quarta-feira a Washington para informar sobre a missão. O governo dos Estados Unidos acaba de impor novas sanções unilaterais contra a Coreia do Norte, as mais duras até o momento, segundo o presidente Trump.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212