Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Prefeitura do Rio derruba quiosques na Vila Kennedy e Crivella repudia excessos - Jornal Brasil em Folhas
Prefeitura do Rio derruba quiosques na Vila Kennedy e Crivella repudia excessos


Trabalhadores e moradores da Vila Kennedy, na zona oeste do Rio de Janeiro, se indignaram hoje (9) com uma operação de ordenamento urbano da prefeitura. Quiosques e barracas localizados em uma praça foram derrubados mesmo sob protestos. Alguns comerciantes se arriscaram diante das máquinas para tentar salvar seus produtos.

A operação se deu num momento em que as Forças Armadas desenvolve ações na comunidade, que fica às margens da Avenida Brasil. O crime organizado instalado na Vila Kennedy vem sendo um dos primeiros alvos das ações de intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro. Cerca de 1,4 mil militares vem sendo empregados em atividades rotineiras, que envolve cerco, estabilização dinâmica da área, reforço no patrulhamento ostensivo e retirada de barricadas.

De acordo com a prefeitura, os agentes que conduziram a operação identificaram 52 construções fixas irregulares, ocupando quase todo o espaço livre da praça e desrespeitando a Lei Orgânica do Município. Os comerciantes reclamam que a derrubada dos quiosques foi feita sem qualquer aviso prévio.

O episódio também repercutiu nas redes sociais. Fui camelô durante dois anos na Vila Kennedy e a legalização da minha barraca e das 52 que foram encontradas com ilegalidades sempre foi uma utopia. Queremos resposta!, escreveu Carol du Pré. O usuário Jefferson Xarutin manifestou apoio aos comerciantes. Vergonhoso o que fizeram na Vila Kennedy. Os moradores precisando de luz e saneamento básico. O governo faz o que? Destrói as fontes de renda deles.

Excessos

Após a repercussão negativa da operação, o prefeito Marcelo Crivella divulgou nota repudiando os excessos. Ele disse ter constatado que houve uso desproporcional da força, atingindo também desnecessariamente trabalhadores. O texto diz que, além das irregularidades no comércio, havia denúncias de atividades criminosas tais como venda de drogas e de carga roubada. Informa ainda que a operação foi um pedido da Polícia Militar, o que foi confirmado pela corporação.

Usando o seu perfil das redes sociais, a prefeitura do Rio de Janeiro afirmou que foi determinado afastamento dos funcionários envolvidos. Também informou que agentes foram deslocados ao local para cadastrar os comerciantes para emissão de licença e posterior realocação em módulos padronizados.

A Secretaria Municipal de Fazenda informou, em nota, que será feito um sorteio para garantir a licença dos comerciantes interessados. Eles passarão a trabalhar em módulos padronizados, que garantem a organização do espaço público e o direito de todos os cidadãos que o frequentam.

Em nota, o Comando Conjunto, que reúne as forças armadas e as agências federais envolvidas na intervenção, disse estava ciente da operação, mas que ela foi desenvolvida por iniciativa da própria prefeitura. Eles aproveitam a estabilidade da área, fornecida pela presença das tropas, para ações de organização do espaço urbano.

Edição: Denise Griesinger

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212