Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Flórida aprova lei que permite armar alguns professores - Jornal Brasil em Folhas
Flórida aprova lei que permite armar alguns professores


O governador da Flórida, Rick Scott, assinou nesta sexta-feira (9) a lei de segurança pública, apoiada por familiares das vítimas do ataque a tiros em Parkland, que restringe o acesso às armas e propõe armar alguns professores.

Até esta sexta não estava claro se Scott assinaria a medida aprovada na quarta-feira pelos legisladores da Flórida (sudeste) após quase três semanas de discussões emotivas.

A lei 7026 eleva de 18 para 21 anos a idade mínima para comprar armas, proíbe os bump stocks (dispositivos que permitem armas semiautomáticas disparar rajadas) e destina 400 milhões de dólares para melhorar a segurança nas escolas e tratamentos de saúde mental.

Também inclui um programa de vigilantes voluntários, que permite armar funcionários civis das escolas, exceto professores que trabalhem nas salas de aula e não tenham experiência militar ou policial.

O governador, que havia manifestado seu apoio às restrições ao acesso às armas e ao programa de saúde mental, demonstrou repetidamente que não apoiava particularmente o programa dos vigilantes que a lei contém.

Mas destacou que os membros das delegacias policiais e das juntas escolares, que irão decidir se as escolas em suas jurisdições poderão ter equipes civis armadas, são escolhidos pelos eleitores.

Meu foco está na aplicação da lei, eles são treinados para isso, disse a repórteres. Acho que os professores deveriam ensinar, afirmou.

Scott destacou que o programa de vigilantes é voluntário. Os comissários têm que se inscrever (...), as juntas escolares têm que se inscrever (...) e nenhum indivíduo será forçado a participar.

A lei 7026 não proíbe a compra e venda de fuzis semiautomáticos, como o AR-15 usado por Nikolas Cruz para matar 17 pessoas em 14 de fevereiro em uma escola de Parkland (norte de Miami), nem limita a compra e venda de carregadores de alta capacidade.

Ao invés de proibir armas específicas, temos que proibir pessoas específicas de comprar armas, afirmou Scott.

O debate sobre o controle de armas foi promovido pelos estudantes de Parkland, que lançaram, um dia depois do ataque, o movimento #NeverAgain para exigir que os políticos enfrentem o problema dos ataques a tiros em massa.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212