Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Mulher é nomeada chefe da Polícia do Canadá pela primeira vez - Jornal Brasil em Folhas
Mulher é nomeada chefe da Polícia do Canadá pela primeira vez


O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, nomeou nesta sexta-feira (9) uma mulher como chefe da Polícia Federal, feito que ocorre pela primeira vez na história da instituição.

Brenda Lucki, até agora a cargo da formação de novos recrutas, foi nomeada delegada da Real Polícia Montada do Canadá, em substituição a Bob Paulson.

Outra mulher exerceu como chefe interina desta força de segurança, entre dezembro de 2006 e junho de 2007, mas Lucki é a primeira a ser nomeada ao cargo de modo permanente.

Quando for assumir seu posto em abril, será a 24ª delegada da história da Real Polícia Montada do Canadá e a primeira mulher a servir como comissária em um papel permanente, disse o primeiro-ministro.

Lucki, além de suas funções, também terá um papel maior na reconciliação dos povos autóctones e na promoção da igualdade de gênero, destacou o primeiro-ministro durante uma cerimônia em Regina (Saskatchewan, oeste).

Acredito que, juntos, alcançaremos nosso objetivo à frente e avançaremos na modernização da nossa organização, declarou Lucki.

Desde de que se uniu à Real Polícia Montada aos 20 anos, em 1986, Lucki ocupou cargos em diferentes locais do Canadá, assim na ex-Iugoslávia com a ONU e na formação de policiais desta organização no Haiti.

A nomeação é feita em um momento em que a Polícia Federal conta com uma baixa representação das mulheres - segundo cifras da instituição, 22% de seus oficiais - e no início de 2017 enfrentou denúncias por casos de assédio sexual e descriminação às mulheres.

Após uma sentença da Justiça, cerca de 25 mil mulheres que trabalharam na Polícia Federal desde 1974, quando este corpo começou a contratar mulheres, foram beneficiárias de indenizações que podiam chegar a até 170 mil dólares em função do preconceito sofrido.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212