Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Trump e Kim Jong-un preparam histórica reunião sobre questão nuclear - Jornal Brasil em Folhas
Trump e Kim Jong-un preparam histórica reunião sobre questão nuclear


O presidente americano, Donald Trump, aceitou na noite de quinta-feira (8) a proposta do líder norte-coreano, Kim Jong-un, para uma histórica reunião sobre a desnuclearização da península coreana, em uma inesperada reviravolta após meses de grande tensão bilateral.

O surpreendente anúncio foi feito em um dos jardins da Casa Branca pelo conselheiro de Segurança Nacional da Coreia do Sul, Chung Eui-yong, depois de uma reunião com Trump.

Não foram revelados, porém, nem o lugar, nem a data exata do encontro, que há até poucas semanas era totalmente impensável em meio às fortes tensões entre Washington e Pyongyang pelos programas balístico e nuclear da Coreia do Norte.

Chung, que na semana passada se reuniu com Kim em Pyongyang, disse ao presidente americano que, nessa conversa, o líder norte-coreano manifestou seu desejo de se reunir com o presidente Trump o quanto antes.

Em resposta, Trump disse que se reuniria com Kim Jong-un até maio para conseguir a desnuclearização permanente da península, explicou o funcionário sul-coreano.

Instantes mais tarde, a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, confirmou que o presidente americano havia aceitado a oferta de um encontro em um lugar e em um momento a serem definidos.

Washington - afirmou a porta-voz - deseja a desnuclearização da Coreia do Norte. Para isso, todas as sanções e a máxima pressão devem continuar.

No Twitter, Trump saudou os grandes avanços obtidos nos esforços para convencer a Coreia do Norte a abandonar seu programa de armas nucleares.

- Fim dos testes nucleares -

Kim Jong-un falou de desnuclearização com a delegação sul-coreana, não apenas de um congelamento. Tampouco haveria testes de mísseis na Coreia do Norte nesse período, destacou o presidente.

A reunião já está sendo planejada!, acrescentou.

Em relação à data, funcionários sul-coreanos disseram à imprensa em Seul que o encontro seria possível no final de maio.

Chung ofereceu a Trump um detalhado relato de seu encontro com Kim em Pyongyang.

Disse ao presidente Trump que, na nossa reunião, o líder norte-coreano, Kim Jong-un, disse que está comprometido com a desnuclearização, contou.

Ele também transmitiu a Trump o compromisso de Kim de evitar mais testes nucleares, ou de mísseis.

A abertura demonstrada por Kim Jong-un e sua vontade de discutir seu programa nuclear surpreenderam um pouco os EUA e levaram Trump a aceitar um encontro, admitiu o secretário de Estado americano, Rex Tillerson.

O que mudou foi sua posição, e de uma forma bastante espetacular. E, muito francamente, foi um pouco uma surpresa para nós que se tenha mostrado tão aberto, afirmou Tillerson nesta sexta em Djibuti, ao fim de um encontro com o ministro das Relações Exteriores desse país, Mahamud Al-Youssouf.

É uma decisão tomada pelo próprio presidente (Trump), acrescentou Tillerson.

- Reações -

O vice-presidente americano, Mike Pence, declarou nesta sexta que o convite de Kim a Trump é uma prova do sucesso das medidas promovidas pelo presidente americano.

A campanha de máxima pressão continuará até que a Coreia do Norte tome medidas concretas, permanentes e verificáveis para por fim a seu programa nuclear, declarou.

Já o presidente chinês, Xi Jinping, pediu em uma chamada telefônica a Trump para dialogar o quanto antes com a Coreia do Norte.

O presidente chinês também elogiou a intenção positiva de Trump, que aceitou o encontro.

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, por sua vez, celebrou o anúncio e disse apreciar enormemente a mudança da Coreia do Norte de que vai começar as conversas sobre a premissa de uma desnuclearização.

Ele ressaltou, porém, que não há uma mudança na política para o Japão, nem para os Estados Unidos.

Vamos continuar exercendo uma pressão máxima (sobre Pyongyang) até que a Coreia do Norte adote ações concretas para uma desnuclearização de uma forma que seja perfeita, verificável e irreversível.

Já a China, que garante 90% do comércio exterior norte-coreano, referiu-se à coragem política de Washington e de Pyongyang para tomarem as boas decisões.

Para a Rússia, o anúncio da cúpula é um passo na boa direção, necessária para normalizar a situação, disse o ministro russo das Relações Exteriores, Serguei Lavrov, também manifestando sua satisfação com a reunião que está por vir.

Na mesma linha, hoje, a União Europeia (UE) classificou como o anúncio como positivo.

Acreditamos que a disposição do presidente Trump para aceitar o convite de Kim Jong-un para uma cúpula em maio também represente um acontecimento positivo, declarou a porta-voz da diplomacia comunitária, Maja Kocijancic, em entrevista coletiva.

Em declarações nesta sexta, a chanceler alemã, Angela Merkel, viu essa movimentação como uma luz no fim do túnel.

Vemos que uma resposta internacional unânime, que também inclua sanções, pode ser uma luz no fim do túnel, frisou a chanceler, em entrevista coletiva em Munique, convidando cada um dos atores a continuarem os esforços.

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) disse esperar, por sua vez, que o encontro bilateral leve a avanços concretos na temática nuclear.

A AIEA acompanha de perto os recentes acontecimentos ligados ao programa nuclear da Coreia do Norte, indica a agência em uma nota.

Nós esperamos que esses acontecimentos levem a avanços concretos sobre a questão nuclear norte-coreana, afirma a AIEA, que se diz pronta para contribuir para seu acerto pacífico, retomando (suas) atividades de verificação no país, uma vez que um acordo político tenha sido concluído entre os países envolvidos.

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212