Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Os 4 investimentos favoritos dos multimilionários brasileiros - Jornal Brasil em Folhas
Os 4 investimentos favoritos dos multimilionários brasileiros


SÃO PAULO - Os investimentos dos brasileiros que têm mais de R$ 10 milhões em aplicações aumentaram 12,3% no ano passado em relação a 2016, para R$ 98 bilhões em 2017, segundo a Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais).

Em linha ao atual cenário macroeconômico, os gestores estão trabalhando fortemente com o conceito da diversificação. As posições em ativos mais sofisticados, que agreguem riscos maiores, é uma tendência que deve permanecer em 2018, na busca por retornos mais atrativos, afirma o diretor da Anbima, Richard Ziliotto.

Entre os ativos que mais cresceram em volume nas carteiras de gestão de patrimônio dos multimilionários, os fundos multimercados se destacaram e o montante aplicado nesse tipo de investimento avançaram 35% em 2017, para R$ 28,1 bilhões.

A previdência aparece em seguida na preferência dos multimilionários, com aumento de 28,3% ante 2016, totalizando R$ 2,1 bilhões em 2017.

Os ativos de renda fixa subiram 6,2%, para R$ 45,1 bilhões, puxados pelos títulos públicos e os FDICs - fundos de investimento em direitos creditórios. Em renda variável, a alta foi de 3,3%, para R$ 16 bilhões, sustentada pelos fundos dessa categoria, já que os investimentos diretos em ações caíram 9,4%.

Quer investir seu dinheiro nas mesmas aplicações dos milionários? Clique aqui e abra uma conta na Rico

Carteira dos multimilionários A composição das carteiras dos investidores com mais de R$ 10 milhões seguiu o perfil dos anos anteriores. O aumento nos aportes em multimercados contribuiu para ampliar a fatia desse investimento entre os demais ativos utilizados, passando de 23,9% para 28,7% em 2017. A renda fixa manteve a maior participação, com 46%, porém, acabou perdendo espaço em relação a 2016, quando chegava a 48,6%.

Essa variação resulta da diminuição na oferta de produtos isentos, que tradicionalmente são muito procurados por esses clientes, e da queda dos juros, diz Ziliotto. Na sequência, aparecem renda variável (16,3%), produtos estruturados (6,5%) e previdência (2,1%).

 

Últimas Notícias

Estimativa do mercado para inflação cai pela quarta vez seguida
Autoridades de Cuba anunciam retorno de médicos antes do fim do ano
Guatemala monitora atividades de vulcão que pode ter novas erupções
Marcelo Piloto é extraditado do Paraguai para o Brasil
Ex-CEO da Nissan é preso no Japão suspeito de reduzir próprio lucro
Governador eleito do Rio promete nova concessão para o Maracanã
Relatório alerta que há 45 barragens sob ameaça de desabamento
Relatório alerta que há 45 barragens sob ameaça de desabamento

MAIS NOTICIAS

 

Estimativa do mercado para inflação cai pela quarta vez seguida
 
 
Autoridades de Cuba anunciam retorno de médicos antes do fim do ano
 
 
Guatemala monitora atividades de vulcão que pode ter novas erupções
 
 
Ex-CEO da Nissan é preso no Japão suspeito de reduzir próprio lucro
 
 
Governador eleito do Rio promete nova concessão para o Maracanã
 
 
Relatório alerta que há 45 barragens sob ameaça de desabamento

 


 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212