Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Colômbia escolhe novos membros para Câmara e Senado - Jornal Brasil em Folhas
Colômbia escolhe novos membros para Câmara e Senado


A Colômbia escolhe hoje (11) novos membros para a Câmara e o Senado. Desde as 10h (horário de Brasília), quando a votação teve início, os mais de 36 milhões de eleitores podem votar nas 11.229 mesas em todo o país.

Este é o primeiro pleito que conta com a participação das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), agora renomeada para Força Alternativa Revolucionária do Comum, que concorre como partido. A nova denominação foi escolhida durante congresso das Farc, realizado em novembro do ano passado.

A eleição é realizada dois anos após o acordo de paz entre a guerrilha e o governo, firmado em novembro de 2016, em Cuba, para que as Farc se desarmassem, passando a atuar como uma força política. O acordo pôs fim a um conflito que durou 53 anos e que deixou cerca de 220 mil mortos e 60 mil desaparecidos.

No total, estão em disputa 108 cadeiras do Senado e 172 na Câmara. Destas, 5 cadeiras de cada casa legislativa são destinadas a candidatos das Farc, conforme estabelecido no acordo de paz. A eleição terminará às 18h (horário de Brasília) e os resultados devem sair ainda hoje.

Além da disputa no legislativo, os colombianos devem participar de duas consultas para escolher os candidatos dos grupos políticos de direita e de esquerda a eleição presidencial que ocorrerá em 27 de maio.

Pela direita disputam a vaga Iván Duque, do partido Centro Democrático, Marta Lucía Ramírez, do grupo Por uma Colômbia Honesta e Forte e Alejandro Ordóñez do Pátrica, da coalização A Pátria de Pé.

Entre os partidos de esquerda, a disputa está entre o entre o ex-prefeito de Bogotá Gustavo Petro, pela coalizão Colômbia Humana e Movimento Mais (Movimento Alternativo Indígena e Social), e Carlos Caicedo, pela coalizão Força Cidadã.

Na última quinta-feira (8), as Farc anunciaram a retirada de sua candidatura para a eleição presidencial que ocorrerá em 27 de maio. Concorriam à presidência Rodrigo Londoño, mais conhecido como Timochenko, líder da organização, e a sua vice, a ativista Imelda Daza. O motivo seria a frágil saúde do ex-guerrilheiro e tentativas de agressão sofridas por ele durante a campanha.

Edição: Maria Claudia

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212