Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


12 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 EUA acreditam que sua firmeza pressionou Coreia do Norte a negociar - Jornal Brasil em Folhas
EUA acreditam que sua firmeza pressionou Coreia do Norte a negociar


O governo americano defendeu, neste domingo, a aposta de Donald Trump de aceitar um encontro histórico com o líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un, e assegurou que esta abertura foi graças a sua política de extrema firmeza.

Ele pôs uma enorme pressão global sobre os norte-coreanos, que teve um impacto real no regime e sua economia, fazendo com que Kim Jong Un venha a nós e diga que quer começar a discutir em condições que os Estados Unidos nunca tinham obtido antes, disse o diretor da CIA, Mike Pompeo, ao canal NBC.

Nunca antes havíamos tido os norte-coreanos em uma posição na que sua economia estivesse em tanto risco, na que sua liderança estivesse sob tanta pressão, declarou também à Fox News.

A Coreia do Norte é alvo de graves sanções econômicas, impostas pelos Estados Unidos, a União Europeia e as Nações Unidas em resposta a seus programas militares e balísticos.

Acredito que querem fazer as pazes, acho que é hora, disse Trump no sábado ante uma multidão de apoiadores nos subúrbios de Pittsburgh. Mais cedo, o presidente americano havia previsto um enorme êxito nestes diálogos.

O governo Trump comemora o fato de ter obtido compromissos inéditos de Pyongyang: a promessa de discutir a desnuclearização da península norte-coreana e a suspensão dos testes nucleares e balísticos durante o processo de diálogo.

O encontro deve acontecer antes do fim de maio, em um local a ser determinado.

Acho que um dos principais motivos pelos que temos esta reunião é o grande impacto que as sanções tiveram, disse o secretário do Tesouro, Steve Mnuchin, na NBC.

O processo permanece rodeado de incertezas, e o próprio regime de Pyongyang não o comentou.

O secretário da Defesa americano, Jim Mattis, disse que preferia falar o mínimo possível sobre o assunto. Quando você está em uma posição como esta, as possibilidades de mal-entendido são muito altas, disse em uma escala em Omã.

Outros funcionários de alto escalão do governo americano, como o secretário de Estado, Rex Tillerson, e o assessor de Segurança Nacional H.R. McMaster, também se mostraram cautelosos.

Os funcionários americanos asseguraram que sua posição de firmeza será mantida nos próximos meses. Não o interpretem mal: enquanto estas negociações acontecerem, não haverá concessões, afirmou Pompeo.

A Casa Branca disse na sexta-feira que não se tratava de aliviar as sanções até que a Coreia do Norte dê passos concretos em direção a uma desnuclearização completa, verificável e irreversível.

A desnuclearização da península da Coreia é nosso objetivo, e isso é o que conseguiremos, insistiu Mnuchin.

A diplomacia americana também deverá acordar com Pyongyang como se realizará o histórico encontro entre os líderes de duas potências nucleares mergulhadas há meses em uma escalada verbal de insultos e ameaças.

Onde se encontrarão? Não sei, respondeu Pompeo.

O presidente não descarta a opção de uma reunião em solo americano, disse Raj Shah, porta-voz adjunto da Casa Branca, esclarecendo que a opção de uma visita de Trump a Pyongyang é altamente improvável.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212