Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 AGM cobra do Governo Federal repasses de R$ 1,3 bi - Jornal Brasil em Folhas
AGM cobra do Governo Federal repasses de R$ 1,3 bi




A Confederação Nacional de Municípios (CNM) acaba de divulgar o resultado de um estudo o qual ilustra muito bem a gravidade da situação de penúria enfrentada pelos municípios brasileiros. Para o presidente da Associação Goiana de Municípios (AGM), Paulo Sérgio de Rezende (Paulinho) “os municípios vivem um verdadeiro dilema. Se por um lado lutam para a obtenção de maior autonomia financeira através de mudanças no Pacto Federativo, com uma distribuição mais justa dos recursos, por outro, amargam com o não cumprimento dos compromissos já assumidos pelo Governo Federal”. Segundo eles os recursos já são insuficientes para as necessidades dos municípios e ainda há atrasam, o que agrava a situação.

E é exatamente sob esse aspecto que trata o levantamento feito pela CNM. O Governo federal deve mais de R$ 37 bilhões aos municípios devido aos Restos a Pagar. Obras paradas e abandonadas é a realidade em todas as regiões brasileiras, e um problema para os governantes e para a população. Frequentemente nos jornais, principalmente creches e unidades de saúde, essas construções são classificadas como exemplos de desperdício de dinheiro público. Mas poucos conhecem a origem do problema.

Um estudo da Confederação Nacional de Municípios (CNM) mostra que, só em 2017, o governo federal deixou de repassar mais de R$ 37 bilhões para investimento nessas construções em todo o país. Para Goiás um total de R$ 1.327.673.356,75 bilhão. Esses recursos foram empenhados em 2017 e não repassados.

Com isso obras importantes custeadas com recursos federais, ou com contrapartida dos municípios estão paralisadas. Por falta de informação sobre o que ocorre na realidade e de quem é a verdadeira culpa, a população reclama e cobra dos prefeitos, os quais se submetem aos desgastes.

Ao analisar os dados da CNM, conclui-se que os chamados Restos a Pagar (RAPs) – recursos prometidos para desenvolvimento de projetos nos Municípios e não repassadas – são responsáveis por grande parte do atual de cenário de obras sem conclusão. Soma-se a isso, a burocracia e a ineficiência dos órgãos que atuam diretamente no processo.

Só nos primeiros meses deste ano, um relatório da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) indica um total de R$ 155 bilhões de Restos a Pagar inscritos no Orçamento Geral da União (OGU). O que soma mais de mais de R$ 6,8 bilhões e indica aumento de 4,6%, em relação a 2017.

 

Últimas Notícias

Varejo perde R$ 19,5 bilhões em 2017 por danos em produtos e furtos
A partir deste sábado, candidatos só podem ser presos em flagrante
Brasileiros não se sentem prontos para lidar com a morte, diz pesquisa
Aos 95 anos, Gervásio Baptista recebe Medalha do Mérito Jornalístico
PF combate grupo criminoso responsável por contrabando de cigarros
Primavera começa hoje com possibilidade de novo episódio do El Niño
Facebook anuncia medidas para combater contas falsas e desinformação
Polícia Militar faz operação na Rocinha

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212