Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Secretário-geral da ONU diz que não houve cessar-fogo na Síria - Jornal Brasil em Folhas
Secretário-geral da ONU diz que não houve cessar-fogo na Síria


O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, disse nesta segunda-feira (12) ao Conselho de Segurança da ONU que a resolução do órgão pedindo um cessar-fogo na Síria não tem sido cumprida. A decisão, aprovada a 24 de fevereiro, por unanimidade, decretava “uma pausa humanitária de pelo menos 30 dias consecutivos em toda a Síria, para permitir a entrega de ajuda humanitária de forma segura e a retirada dos doentes graves”. A informação é da ONU News.

No seu discurso, António Guterres destacou que “não houve cessar das hostilidades” e a entrega de ajuda humanitária não tem acontecido “de forma segura, desimpedida e sustentável”. Ele disse também que não foi levantado o cerco em zonas habitadas, como Ghouta Oriental, e que “nenhum doente ou ferido grave foi evacuado” até ao momento.

Segundo o líder das Nações Unidas, a ONU e os seus parceiros estão prontos para entregar ajuda humanitária, mas os objetivos não têm sido cumpridos devido à violência.

Orientação

Guterres falou também sobre as negociações que estão ocorrendo e detalhou vários encontros e correspondência entre as partes envolvidas no conflito, incluindo o governo sírio, fações rebeldes, a ONU e a Rússia.

O chefe da ONU afirmou que ele e o seu enviado especial para o país, Staffan de Mistura, se mantiveram “informados de cada passo, oferecendo apoio e orientação para garantir a implementação da resolução. ”

O secretário-geral detalhou o que foi feito nas últimas duas semanas. Em Afrin e Tell Refaat, a norte de Alepo, a ajuda chegou a 50 mil pessoas. Em Dar Al-Kabira, foram alcançadas 33,5 mil pessoas, mas “o governo sírio não permitiu a entrega de medicamentos essenciais como a insulina”.

Em Ghouta Oriental, a ajuda chegou a 27,5 mil pessoas, um terço do objetivo. Além disso, explicou Guterres, “a maioria do material médico foi removida pelas autoridades sírias”. Ele afirmou que “a violência tornou esta operação extremamente perigosa, apesar das garantias dadas. Numa das ocasiões, o pessoal teve de regressar a Damasco por causa de bombardeios”.

Esperança

O secretário-geral elogiou ainda “os valentes trabalhadores humanitários que arriscam as suas vidas para entregar ajuda e proteção às pessoas que precisam.” Segundo ele, “com todas estas dificuldades, a situação humanitária e de direitos humanos na região torna-se mais desesperadora a cada dia”.

No fim do discurso, Guterres disse acreditar que “apesar das dificuldades, falta de confiança, desconfianças mútuas ainda é possível implementar a Resolução 2401 visando a trégua”.

 

Últimas Notícias

Frédéric Lamotte é o novo diretor geral da CA Indosuez Wealth (Miami) e responsável Global da região das Américas
A ACIRLAG chega para impulsionar o setor econômico da região Leste de Aparecida
John Forman recusa cargo no Conselho de Administração da Petrobras
Em visita oficial, Macri é recebido no Planalto por Bolsonaro
Mercado financeiro prevê inflação em 4,02% neste ano
Consultas de CPFs para vendas a prazo no comércio crescem 2,8%
Produção de bicicletas aumenta 15,9% no Brasil
Receita abre consulta a restituição do Imposto de Renda de 2008 a 2018

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212