Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Exilado russo é encontrado morto em Londres em circunstâncias misteriosas - Jornal Brasil em Folhas
Exilado russo é encontrado morto em Londres em circunstâncias misteriosas


Nikolai Glushkov, um exilado russo, parceiro de negócios do oligarca e opositor do Kremlin Boris Berezovski, foi encontrado morto nesta segunda-feira perto de Londres, em circunstâncias inexplicadas, informaram nesta terça-feira as imprensas britânica e russa.

A polícia antiterrorista britânica está conduzindo a investigação por precaução, por causa das ligações que o homem teria, indicou em um comunicado, sem fornecer sua identidade.

De acordo com o jornal The Guardian, trata-se de Nikolai Glushkov, de 68 anos, um russo que recebeu asilo político no Reino Unido em 2010.

Segundo o jornal russo Kommersant, que cita uma filha de Glushkov, Natalia, seu corpo tinha sinais de estrangulamento.

A morte acontece em plena escalada diplomática entre Londres e Moscou em razão da tentativa de assassinato de um ex-espião russo na cidade inglesa de Salisbury, um ataque atribuído por Londres à Rússia.

A polícia confirmou que encontrou uma pessoa morta na segunda à noite em sua residência em New Malden, um subúrbio de Londres, e que as causas de sua morte são desconhecidas no momento.

Não há evidências que possam sugerir um vínculo com o incidente em Salisbury, acrescentou, referindo-se ao ataque com arma química contra o ex-espião Serguei Skripal e sua filha, que estão em estado grave.

Ex-diretor da companhia aérea russa Aeroflot nos anos 1990, Glushkov foi condenado a 8 anos de prisão e ao pagamento de 20 milhões de dólares pela justiça russa em 2017 por desvio de fundos da empresa.

A denúncia de corrupção foi lançada em 1999, quando Glushkov fazia parte dos parceiros de Boris Berezovski.

O ex-oligarca russo que se tornou opositor ao Kremlin foi encontrado enforcado em sua residência perto de Londres em março de 2013. Na época, Gluchkov questionou a tese de suicídio.

Temos amigos em comum, eles me informaram de sua morte. Não sei nada sobre as causas, mas era um homem de certa idade. Ele morreu em sua casa em Londres, reagiu Demian Kudriavtsev, proprietário do jornal russo Vedomosti e ex-conselheiro de Boris Berezovski, citado pela agência oficial TASS.

 

Últimas Notícias

Inep divulga resultado do Enem
Frédéric Lamotte é o novo diretor geral da CA Indosuez Wealth (Miami) e responsável Global da região das Américas
A ACIRLAG chega para impulsionar o setor econômico da região Leste de Aparecida
Inep divulga notas do Enem na sexta-feira
Bolsonaro sanciona Lei do Orçamento 2019 de mais de R$ 3,3 trilhões
Parlamento venezuelano aprova acordo para entrada de ajuda humanitária
Imigrantes hondurenhos sofrem com obstáculos para passagem de caravana
Militares vão atuar de forma mais intensa no Programa Mais Médicos

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212