Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Polícia Civil conclui 868 inquéritos de violência contra a mulher - Jornal Brasil em Folhas
Polícia Civil conclui 868 inquéritos de violência contra a mulher


A Polícia Judiciária Civil finalizou 868 inquéritos policiais de crimes de violência contra a mulher, durante o mutirão da campanha Justiça Pela Paz em Casa, promovido pelo Poder Judiciário e parceiros, nesta semana na Arena Pantanal. No trabalho conjunto de servidores da instituição, 1.050 intimações foram entregues a agressores, vítimas e testemunhas e confeccionadas 50 medidas protetivas da Lei Maria da Penha.

O delegado regional de Cuiabá, Cley Celestino Batista, destacou o comprometimento dos 11 delegados, 37 escrivães e 44 investigadores de delegacias ligadas às Diretorias Metropolitana e Atividades Especiais, designados para o mutirão. A Polícia Civil concluiu com louvor o mutirão de violência doméstica. Alcançamos mais do que a meta proposta, disse.

O mutirão foi realizado nos dias 5 a 9 de março - semana de comemoração ao Dia Internacional da Mulher -, para dar agilidade a inquéritos e processos relativos a violência doméstica e familiar contra a mulher. O trabalho envolveu segmentos que trabalham na violência de gênero, como psicólogos, casa de amparo, OAB, forças de segurança, Promotoria de Justiça e as Varas de Violência Doméstica.

A Polícia Civil atuou em duas frentes, na conclusão de procedimentos de violência contra mulher, oriundos da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher (DEDM) de Cuiabá, e na confecção de medidas protetivas, que eram deferidas no próprio espaço pela Justiça.

Para a delegada, Jozirlethe Magalhães Criveletto, titular da Delegacia da Mulher de Cuiabá, colocar todos os segmentos em um só espaço, cada qual fazendo o seu papel, foi uma ação inovadora que deu agilidade a um processo da Lei 11.340 (Maria da Penha). Ela explica que no procedimento comum, a vítima busca a delegacia para pedir a medida protetiva e a autoridade policial tem o prazo de 48 horas para encaminhar para o Fórum. O juiz, por sua vez, tem mais 48 horas para deferir a medida, que depois segue para intimação do autor.

Foi um grande privilégio estar convivendo com profissionais realmente comprometidos em buscar os resultados. Uma das melhores equipes de trabalho que já vivenciei. Agradeço à todos que acreditaram e, mesmo com grande sacrifícios, encararam esse desafio, enalteceu a delegada Jozirlethe Criveletto.

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212