Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Polícia Civil conclui 868 inquéritos de violência contra a mulher - Jornal Brasil em Folhas
Polícia Civil conclui 868 inquéritos de violência contra a mulher


A Polícia Judiciária Civil finalizou 868 inquéritos policiais de crimes de violência contra a mulher, durante o mutirão da campanha Justiça Pela Paz em Casa, promovido pelo Poder Judiciário e parceiros, nesta semana na Arena Pantanal. No trabalho conjunto de servidores da instituição, 1.050 intimações foram entregues a agressores, vítimas e testemunhas e confeccionadas 50 medidas protetivas da Lei Maria da Penha.

O delegado regional de Cuiabá, Cley Celestino Batista, destacou o comprometimento dos 11 delegados, 37 escrivães e 44 investigadores de delegacias ligadas às Diretorias Metropolitana e Atividades Especiais, designados para o mutirão. A Polícia Civil concluiu com louvor o mutirão de violência doméstica. Alcançamos mais do que a meta proposta, disse.

O mutirão foi realizado nos dias 5 a 9 de março - semana de comemoração ao Dia Internacional da Mulher -, para dar agilidade a inquéritos e processos relativos a violência doméstica e familiar contra a mulher. O trabalho envolveu segmentos que trabalham na violência de gênero, como psicólogos, casa de amparo, OAB, forças de segurança, Promotoria de Justiça e as Varas de Violência Doméstica.

A Polícia Civil atuou em duas frentes, na conclusão de procedimentos de violência contra mulher, oriundos da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher (DEDM) de Cuiabá, e na confecção de medidas protetivas, que eram deferidas no próprio espaço pela Justiça.

Para a delegada, Jozirlethe Magalhães Criveletto, titular da Delegacia da Mulher de Cuiabá, colocar todos os segmentos em um só espaço, cada qual fazendo o seu papel, foi uma ação inovadora que deu agilidade a um processo da Lei 11.340 (Maria da Penha). Ela explica que no procedimento comum, a vítima busca a delegacia para pedir a medida protetiva e a autoridade policial tem o prazo de 48 horas para encaminhar para o Fórum. O juiz, por sua vez, tem mais 48 horas para deferir a medida, que depois segue para intimação do autor.

Foi um grande privilégio estar convivendo com profissionais realmente comprometidos em buscar os resultados. Uma das melhores equipes de trabalho que já vivenciei. Agradeço à todos que acreditaram e, mesmo com grande sacrifícios, encararam esse desafio, enalteceu a delegada Jozirlethe Criveletto.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212