Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Cade autoriza compra da XP Investimentos pelo banco Itaú - Jornal Brasil em Folhas
Cade autoriza compra da XP Investimentos pelo banco Itaú


O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) autorizou nesta quarta-feira (14), por 5 votos a favor e 2 contrários, a aquisição de 49,9% do capital votante e 74,9% do capital social da XP Investimentos pelo Itaú-Unibanco.

A operação, no entanto, foi condicionada a obrigações previstas em um Acordo em Controle de Concentrações (ACC) assinado pelas empresas. O objetivo, segundo o órgão antitruste, é neutralizar possíveis efeitos anticompetitivos decorrentes da operação.

A compra de parte da XP pelo Itaú foi anunciada em julho do ano passado, por R$ 6,2 bilhões, e deve ser realizada em três etapas até sua finalização em 2022. Após esse período, o acordo ainda prevê cláusulas de venda, pela XP, e de compra, pelo Itaú, do restante das ações. Se isso ocorrer, a nova operação também terá de passar pelo crivo do Cade.

A XP Investimentos é um tipo de corretora que permite que seus clientes tenham acesso a investimentos oferecidos por diferentes instituições financeiras, como fundos imobiliários, de renda fixa ou variável, ações nas Bolsa de Valores, entre outros. No caso dos bancos, só é permitido vender ao cliente produtos exclusivos de cada instituição.

Em seu voto, o conselheiro relator do processo, Paulo Burnier da Silveira, seguiu recomendação da área técnica do Cade para impedir o controle administrativo e de gestão da XP pelo Itaú, pelo menos até 2022. Além disso, a XP não poderá discriminar a venda de investimentos oferecidos por outras instituições bancárias concorrentes do Itaú e nem poderá adotar medidas para prejudicar o surgimento de outras plataformas com atuação semelhante.

Da parte do Itaú, fica vetada a discriminação de plataformas concorrentes à XP, caso o banco decida distribuir seus produtos de investimento por meio de plataformas abertas. O acordo também proíbe o direcionamento dos clientes do Itaú para a XP, para evitar o reforço da posição dominante já detida por essa empresa no seguimento de corretagem de investimentos.

O voto do relator foi acompanhado pelos conselheiros Maurício Oscar Bandeira, Polyanna Vilanova, Paula Azevedo e Alexandre Barreto (presidente do Cade). Foram contrários os conselheiros João Paulo de Resende e Cristiane Alkmin. Uma empresa de auditoria independente será contratada pelo Itaú e pela XP Investimentos para acompanhar e fiscalizar o cumprimento das condicionantes ao longo dos próximos anos.

Em nota, o Itaú Unibanco informou ter recebido com satisfação o resultado do julgamento do Cade. O banco também destacou que aguarda a aprovação do Banco Central para efetivar a operação.

Edição: Denise Griesinger

 

Últimas Notícias

Centro está preparado para lançamento de foguete após acidente
Cidades brasileiras integram programa de preservação de florestas
MP denuncia ex-marido de corretora assassinada no Rio
Bolsonaro segue estável e internado no Hospital Albert Einstein
Goiás entra para a elite dos Estados mais competitivos do País
Petrobras eleva gasolina em 2 centavos; diesel permanece inalterado
MME faz consulta sobre planejamento da transmissão de energia elétrica
Inadimplência do consumidor subiu 3,63% em agosto

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212