Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Dilma vai a São Bernardo do Campo para encontro com Lula - Jornal Brasil em Folhas
Dilma vai a São Bernardo do Campo para encontro com Lula


A presidenta Dilma Rousseff embarcou na manhã de hoje (5) para São Paulo onde irá se encontrar com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

De acordo com a assessoria de imprensa da Presidência da República, Dilma deve chegar a São Paulo no final da manhã e se encontrará com Lula no apartamento do ex-presidente em São Bernardo do Campo.

Ontem (4), a presidenta telefonou para Lula e disse estar solidária com o ex-presidente, que foi conduzido coercitivamente para prestar depoimento na Polícia Federal no âmbito da 24ª fase da Operação Lava Jato. Em nota divulgada, Dilma disse estar inconformada com a condução coercitiva do ex-presidente.

“Manifesto meu integral inconformismo com o fato de um ex-presidente da República que, por várias vezes, compareceu voluntariamente para prestar esclarecimentos perante as autoridades competentes, seja agora submetido a uma desnecessária condução coercitiva para prestar um depoimento”, diz a nota. Mais tarde, a presidenta fez um pronunciamento em que reafirmou o teor da nota.

Segundo a assessoria, após o encontro, Dilma embarca para Porto Alegre onde deve descansar no final de semana.

Condução coercitiva

Em entrevista ao programa Repórter Brasil, da TV Brasil, o jurista Walter Maierovitch considerou ilegal a condução coercitiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para prestar depoimento ontem (4) à Polícia Federal, em São Paulo, nas investigações da Operação Lava Jato. Para o jurista, “hoje vivemos num quadro mais emocional do que jurídico”.

Para Maierovich, “houve um erro judicial grave” e “extremo” na atuação da PF. “O papel do Estado não é proteger restringindo direitos. O que aconteceu hoje? A título de uma segurança ao ex-presidente se restringiu a liberdade dele. Uma coisa inacreditável sob o aspecto da lógica jurídica”, ressaltou. A Polícia Federal e o Ministério Público Federal informaram que o ex-presidente foi conduzido coercitivamente para depor na sala da PF no Aeroporto de Congonhas para garantir sua segurança e evitar confrontos entre manifestantes a favor e contra o ex-presidente.

Na entrevista, o jurista comentou a decisão da ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Rosa Weber, que negou nessa sexta-feira pedido da defesa do ex-presidente para suspender as investigações da 24ª fase da Operação Lava Jato. Na decisão, a ministra entendeu que não há ilegalidade irrefutável nas investigações para concessão de uma liminar que interfira nas autonomias dos trabalhos do Ministério Público.

“A questão toda que é apresentada pelo ex-presidente Lula, por meio dos seus advogados, ainda vai ser decidida. Ainda não temos nada. O que ela [a ministra Rosa Weber] analisa é formal, com relação à liminar, se deve ou não, se há irreparabilidade de dano. Ela não mergulhou no assunto, no conflito de atribuição”, disse Maierovitch.

 

Últimas Notícias

Sul e Sudeste se unem e formam consórcio para ações conjuntas
Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
Feiras em São Paulo oferecem oportunidades de intercâmbio no exterior
Treze de 16 docentes relataram casos de agressão na escola de Suzano

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212