Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


14 de Dez de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Se há algo que é democrático, no pior sentido, é o preconceito contra nós, mulheres, afirmou ministra Cármen Lúcia - Jornal Brasil em Folhas
Se há algo que é democrático, no pior sentido, é o preconceito contra nós, mulheres, afirmou ministra Cármen Lúcia


A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, manifestou, na sessão plenária desta quinta-feira (15), pesar pela morte da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e de seu motorista Anderson Pedro Gomes, assassinados a tiros na noite de ontem (14) no centro da cidade do Rio de Janeiro. Segundo a ministra, o assassinato da vereadora, “de forma crua, perversa e cruel, faz com que a gente tenha que ter muita força para continuar a acreditar num marco de humanidade do período que estamos vivendo”.

A ministra salientou ainda que, se há algo que é democrático, no pior sentido, é o preconceito contra as mulheres. “Todas as indignidades, injustiças e preconceitos fazem com que a gente tenha é coragem para lutar mais, para que a Constituição possa ser lida por homens e mulheres com a igual certeza da eficácia dos direitos ali postos”, afirmou indignada.

Em uma manifestação pelo Twitter do STF, a ministra exaltou a luta da vereadora pela Justiça e igualdadejustiça e igualdade e o nosso compromisso de continuar com ela. Assim, ela continua conosco. Para sempre Marielle!”, afirmou a presidente do Supremo.

Outros ministros presentes à sessão também fizeram questão de demonstrar indignação em razão do assassinato da vereadora. O ministro Edson Fachin manifestou o desejo de que o silêncio eloquente, coerente com a função jurisdicional, “seja audível contra todas as formas de violência”. Para o ministro Alexandre de Moraes, a vereadora foi alvo de toda série de discriminações e tornou-se vítima da mais cruel e covarde delas, “que é a eliminação física”.

O ministro Luís Roberto Barroso chamou a atenção para a atual situação da cidade do Rio de Janeiro, a qual denominou de combinação medonha de desigualdade, corrupção e mediocridade. “A única homenagem que a gente pode prestar a quem luta por justiça e igualdade é continuar a luta por justiça e igualdade”, disse.

A ministra Rosa Weber citou a saudação utilizada na Marcha Mundial das Mulheres. “Por nossas mortas, nenhum minuto de silêncio, mas uma vida inteira de dor. Marielle, presente”, disse. O ministro Luiz Fux lamentou que a tragédia no Rio tenha acontecido em um momento em que “o universo feminino ascende como a melhor luz no fim do nosso túnel”.

Ao associar-se às manifestações dos colegas, o ministro Ricardo Lewandowski afirmou que o atual clima de violência, ódio e intolerância no país não atinge apenas as mulheres negras, como foi o caso da vereadora Marielle, mas também as demais minorias. “Penso que é função ou até missão do STF estarmos atentos e contribuirmos para a solução deste grave problema e a pacificação de nosso país”, destacou.

O ministro Gilmar Mendes lembrou que somente 8% dos homicídios ocorridos no Brasil são de fato solucionados. “Esses episódios se repetem, e temos que pensar nesse tipo de questão”, falou, referindo-se ao assassinato de Marielle.

O vice-procurador-geral da República, Luciano Mariz Maia, também se manifestou sobre o assassinato da vereadora. “Uma semana após a celebração do Dia Internacional da Mulher acordamos atingidos pelas balas que mataram Marielle e atingem em cheio a democracia”, disse. Maia ressaltou que a vereadora elevou sua voz para silenciar as injustiças e foi silenciada covardemente. “Mas, se a ela tentaram calar e derrubar, devem saber que não se pode deter o rumo da história e a história significa a força da mulher para ter o reconhecimento da sua igualdade”.

SP/JR

 

Últimas Notícias

Assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes completa 9 meses
Polícia do Rio cumpre 11 mandados de prisão por fraudes na saúde
Bolsonaro quer doar mais de R$ 1 milhão de sobras de campanha
IGP-10 fecha ano com inflação de 7,92%
China é principal destino das exportações brasileiras em novembro
Setor de serviços cresce 0,1% em outubro, diz IBGE
Médicos têm até hoje para se apresentar aos municípios
Participação de cidades de SP e RJ no PIB nacional cai para 16,2%

MAIS NOTICIAS

 

Mega-Sena sorteia hoje prêmio de R$ 36 milhões
 
 
Câmara aprova incentivos fiscais a Sudene, Sudam e Centro-Oeste
 
 
Governadores discutem hoje segurança pública; Moro deve participar
 
 
Doria diz a Moro que estados precisam de recursos para a segurança
 
 
João de Deus afirma estar à disposição da Justiça
 
 
CGU recupera R$ 7,23 bilhões para os cofres públicos este ano

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212