Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


14 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 O que você faria se o seu celular dissesse que você pode morrer agora? - Jornal Brasil em Folhas
O que você faria se o seu celular dissesse que você pode morrer agora?


Na última semana a DeepMind anunciou o desenvolvimento de uma inteligência artificial capaz de prever riscos à vida humana. A empresa adquirida pelo Google, em 2014, firmou uma parceria com o Departamento de Veteranos dos Estados Unidos a fim de identificar o estado de saúde, prevenir a deterioração e tratar o estado clínico dos pacientes monitorados pelo sistema. Se der certo, a pesquisa pode ser utilizada no mundo inteiro.

De acordo com o comunicado oficial da empresa, o foco da pesquisa é concentrado na busca e tratamento de lesões agudas renais (AKI – Acute Injury Kidney, em inglês). Uma vez que esse é um dos males mais difíceis de ser detectado e ao mesmo tempo um dos maiores responsáveis pala rápida deterioração da condição física humana, quando manifestado.

Capaz de monitorar os pacientes 24 horas por dia e em tempo real, o método de desenvolvimento da inteligência artificial é baseado na programação de algoritmos que reconheçam a AKI no organismo humano mais cedo do que os métodos atuais. Além da detecção precoce, o método facilitaria o trabalho dos profissionais de saúde, tanto na identificação dos sintomas, quanto no tratamento da doença.

A DeepMind assegura que os dados dos cerca de 700 mil pacientes envolvidos na pesquisa serão tratados com respeito e confidencialidade. Além disso, no futuro, a empresa pretende utilizar o desenvolvimento do algoritmo em casos semelhantes que envolvam outras doenças.

A empresa de tecnologia menciona estudos onde a estimativa é de que aproximadamente 11% das mortes ocorridas em hospitais acontecem justamente devido à deterioração da condição clínica não detectada dos pacientes.

O comunicado diz: “O trabalho que estamos desenvolvendo agora é exploratório, mas estamos otimistas a respeito do potencial de aprendizado tecnológico da máquina em longo prazo nesta área. Em um mundo onde a maioria dos recursos hospitalares é giram em torno do tratamento de sintomas quando as pessoas já estão doentes, temos esperança que essas técnicas de prevenção possam pavimentar o caminho para um tratamento mais preventivo e ajudar que as pessoas já não fiquem mais doentes”.

Microchip

Desde 2013, pesquisadores da UCL – University College London, na Inglaterra, desenvolvem um microchip para celulares, capaz de testar e identificar doenças infectocontagiosas, como epidemias de gripe, bactérias como a MRSA e o HIV. Ou seja, celulares com internet poderão rastrear, identificar e alertar sobre esse tipo de doença.

Semelhante à verificação de glicemia, o teste precisa apenas de uma gota de sangue para exibir os resultados do exame na tela do celular. Além disso, o programa vinculado ao chip deve trazer links sobre os sintomas dessas doenças espalhados em plataformas confiáveis pela internet.

De acordo com a Doutora Rachel McKendry, “Essa nova geração de sistemas de testes e rastreamento diagnósticos poderia salvar milhões de pessoas de doenças mortais, como Influenza, MRSA e HIV. A revolução na comunicação móvel, da nanotecnologia, genética e do “big data” oferecem oportunidades tremendas de lidar com epidemias e, mais importante, prevenir doenças contagiosas”.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212