Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


25 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 No Dia das Mulheres o machismo ainda é visto como o maior problema - Jornal Brasil em Folhas
No Dia das Mulheres o machismo ainda é visto como o maior problema


O dia 8 de março surgiu num contexto de luta por melhores condições de vida e de trabalho para as mulheres, inclusive o direito ao voto. O Dia das Mulheres começou a ser celebrado no início do século XX e até hoje luta-se por mais espaço na política. “É um problema seríssimo da democracia essa ausência de mulheres no meio político. Se a democracia é o governo das maiorias, como então as mulheres, que são maiorias, não estão inseridas?”, questiona a vice-governadora Margarete Coelho.

A primeira mulher a ocupar o cargo de Governadora do Estado do Piauí enxerga a posição não como um bônus, mas sim como uma missão. “Não é uma vitória pessoal. Eu vejo como uma obrigação para dar o melhor de mim, porque as cobranças para as mulheres veem no superlativo”, justifica Margarete. O segundo cargo mais importante no Poder Executivo Estadual, no entanto, não diminui o machismo que a cerca. “É difícil, muito difícil. É revoltante também. Eu acho extremamente injusto”, corrobora.
Alesandra da Silva, delegada titular da Delegacia de Proteção dos Direitos da Mulher, acredita que a maior vitória diz respeito à própria independência. “A mulher agora é conhecedora dos seus direitos. Hoje em dia a mulher não admite mais ser oprimida, ser humilhada”, afirma.

Policial há cerca de 15 anos, Alesandra afirma que a maior dificuldade no enfrentamento do crime contra a mulher é a falta de educação masculina e o machismo. “É a realidade. O homem ainda é muito machista. Há casos aqui do homem agredir a mulher simplesmente porque chegou em casa e a comida não estava feita”, descreve. “Como que uma pessoa agride outra por um motivo tão esdrúxulo?”
Enfrentar homens tão machistas, para a delegada, entretanto, não é nenhum problema. “Eu não sei se porque represento o Estado, mas eu não enfrento tanta dificuldade. Eu deixo todo mundo orientado e falo dos direitos tanto do homem quanto da mulher, mas eu deixo claro qual a minha posição e qual a posição deles”.

Na opinião de Margarete Coelho, a violência contra a mulher é baseada na premissa de que “há um espaço que é da mulher e um espaço que é do homem e quando a mulher não se coloca nesse espaço ela pode ser punida inclusive com a morte”. Uma herança histórica que pouco a pouco vem mudando.

Para a vice-governadora, dizer que alguém é feminista é, pro vezes, visto como uma agressão, uma acusação. “É como se você defender o seu direito de igualdade, de direitos humanos, fosse uma agressão, uma afronta”. A gestora destaca ainda que a mulher pode ser feminista em qualquer ocasião. “Ela apenas não aceita a submissão, ela quer conquistar. Quer ser uma boa profissional, ser politicamente independente. O feminismo é isso. Qualquer uma pode ser mulher e ser feminista do seu jeito. Eu posso optar por não trabalhar fora, por cuidar da minha casa, cuidar dos meus filhos e ser feminista na medida em que eu educo os meus filhos ensinando que não tem tarefa de homem e tarefa de mulher”.

 

Últimas Notícias

Jovens têm menos chance de contratação e mais de serem demitidos
Bolsa cai e dólar fecha em R$ 3,80
Araújo: dispensa de status especial na OMC nos coloca como país grande
Países sul-americanos devem sair de uma só vez da Unasul, diz ministro
Chanceler descarta emprego das Forças Armadas na Venezuela
Moçambique, Zimbábue e Malauí tentam identificar vítimas de ciclone
Nova Zelândia quer proibir, em abril, venda de armas do tipo militar
Conselho Europeu aceita prorrogar saída do Reino Unido para maio

MAIS NOTICIAS

 

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
 
 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
 
 
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
 
 
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
 
 
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
 
 
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação de escolas

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212