Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


12 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Agroindústria familiar e de pequeno porte está isenta de taxas da Sema - Jornal Brasil em Folhas
Agroindústria familiar e de pequeno porte está isenta de taxas da Sema


As pequenas instalações destinadas ao abate e/ou processamento e à industrialização de produtos de origem animal e vegetal terão a garantia de comercialização dos produtos com inspeção municipal por meio do Sistema Unificado Estadual de Sanidade Agroindustrial Familiar e de Pequeno Porte de Mato Grosso (Susaf-MT). Criado pela lei estadual 10.502/2017, o programa terá uma gerência composta por servidores Secretaria de Agricultura Familiar e Regularização Fundiária (Seaf), do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea) e da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), sendo vinculado à primeira.

Os empreendimentos que se enquadram no programa, conforme parâmetros de volume de transformação definidos em lei, terão isenção de taxas e emolumentos da Sema. Também compete ao órgão ambiental orientar os serviços de inspeção municipal e as agroindústrias familiares para garantir o cumprimento das normas ambientais vigentes. Outra vantagem para os pequenos, é a simplificação do licenciamento.

De acordo com o secretário de Estado de Meio Ambiente, André Baby, a iniciativa do Governo de Mato Grosso ratifica o empenho em garantir a inclusão da agricultura familiar no processo produtivo. “Nesse sentido, a Sema abraçou a causa por acreditar na importância de darmos a devida atenção aos agricultores familiares para que estes produzam, seguindo a legislação ambiental, e possam ter acesso a novas linhas de crédito e agregar valor ao produto”, defende o gestor.

A iniciativa do Governo de Mato Grosso em instituir o Susaf-MT integra o conjunto de ações do eixo Incluir da Estratégia Produzir, Conservar e Incluir (PCI). Lançada durante a 21ª Conferência das Partes (COP-21), em Paris, o projeto nasceu de uma construção coletiva entre poder público, entes privados e sociedade civil organizada. O objetivo é captar recursos para o Estado de Mato Grosso com foco na expansão e aumento da eficiência da produção agropecuária e florestal, na conservação dos remanescentes de vegetação nativa, na recomposição dos passivos ambientais e na inclusão socioeconômica da agricultura familiar, além de gerar a redução de emissões e sequestro de carbono de 6 GTonCO2, mediante o controle do desmatamento e o desenvolvimento de uma economia de baixo carbono.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212