Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


24 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Cinco médicos de Nova York acusados de receitar opioides em troca de subornos - Jornal Brasil em Folhas
Cinco médicos de Nova York acusados de receitar opioides em troca de subornos


Cinco médicos de Nova York foram acusados, nesta sexta-feira, de aceitar centenas de milhares de dólares em subornos de uma empresa farmacêutica para prescrever fentanil, um remédio para a dor poderoso e viciante, em um caso que mostra como a justiça americana tenta frear a crise dos opioides.

Os cinco médicos prescreveram em excesso durante meses um spray de fentanil, um analgésico 50 a 100 vezes mais poderoso que a morfina, em troca de subornos do fabricante, que declaravam como se fossem honorários para dar palestras, indicou a ata de acusação publicada nesta sexta-feira pelo promotor federal de Manhattan.

O promotor não informou o nome do laboratório, mas todos os detalhes correspondem à empresa Insys.

Em agosto passado, a Insys, baseada no Arizona, aceitou cooperar com a justiça e pagar 4,5 milhões de dólares de multa após ter sido acusada de práticas fraudulentas para promover seu spray de fentanil Subsys, em princípio reservado às dores vinculadas ao câncer.

Dois empregados da Insys se declararam culpados e participaram na investigação que levou à prisão dos médicos.

Os cinco médicos são acusados de terem participado no sistema de falsos honorários da Insys.

Um deles, Gordon Freedman, de 57 anos, teria recebido mais de 300.000 dólares em falsos honorários em troca de um aumento de suas prescrições do aerossol de fentanil.

Também foi o palestrante mais bem pago da Insys em 2014: apenas no último trimestre desse ano, prescreveu o medicamento por um valor de mais de 1,1 milhão de dólares, disse o promotor.

Os outros quatro médicos - Jeffrey Goldstein, Todd Schlifstein, Dialecti Voudouris e Alexandru Burducea - foram acusados de receber entre 68.000 e 196.000 dólares em falsos honorários para promover o medicamento.

Eles podem ser condenados a mais de 20 anos de prisão.

O caso ilustra a ação crescente da justiça americana contra a prescrição exagerada de medicamentos contra a dor como o fentanil e a oxicodona, na origem da crise de dependência de opioides que matou 63.600 pessoas por overdose em 2016 nos Estados Unidos.

As prisões nos meios médico e farmacêutico por prescrição excessiva destes medicamentos se tornaram quase cotidianas nos Estados Unidos.

 

Últimas Notícias

Índice de registro de imóveis pode melhorar transações no país
Programa para receber declaração do IR estará disponível segunda-feira
Paulo Guedes espera aprovação da reforma da Previdência até junho
Doria anuncia redução do aumento do preço médio do gás em São Paulo
Pesquisador em Engenharia Aeroespacial assume presidência do CNPq
Ortega anuncia retomada do diálogo com a sociedade organizada
Empresária vítima de tentativa de feminicídio no Rio deixa hospital
Atriz Fernanda Montenegro recebe alta de hospital no Rio

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212