Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Naufrágio de barco com imigrantes deixa 16 mortos no Egeu - Jornal Brasil em Folhas
Naufrágio de barco com imigrantes deixa 16 mortos no Egeu


Um naufrágio nas águas gregas deixou pelo menos 16 mortos neste sábado, incluindo seis crianças, na véspera do segundo aniversário de um acordo UE-Turquia para impedir a chegada imigrantes a partir da costa turca.

Este é o pior saldo registrado em um naufrágio de imigrantes na área desde a assinatura do acordo, em março de 2016.

Com base nos testemunhos dos únicos três sobreviventes - duas mulheres e um homem - que nadaram até a ilha grega de Agathonisi, a polícia portuária estima que ainda há duas ou três pessoas desaparecidas.

Em outro incidente, dois imigrantes morreram neste sábado perto da fronteira terrestre com a Turquia, quando o caminhão em que estavam viajando tombou quando tentava escapar de um controle rodoviário, informou a polícia local.

No mar, as buscas continuam. O número de mortos aumentou à medida que as operações avançavam: após a descoberta dos primeiros corpos - uma mulher, um homem e quatro crianças - os socorristas recuperaram mais dez corpos durante a tarde.

De acordo com a imprensa local, entre as vítimas há seis crianças de nacionalidade desconhecida.

Localizadas em frente à costa turca, as ilhas gregas do sudeste do Mar Egeu tornaram-se em 2015 a principal porta de entrada na Europa de pessoas, principalmente sírias, fugindo das guerras e da miséria.

O acordo entre a UE e Ancara reduziu o fluxo migratório entre a Turquia e as ilhas gregas, embora centenas de pessoas continuem a chegar a cada mês.

Mais de mil imigrantes, incluindo muitas crianças, morreram no Egeu entre 2015 e 2016.

Não podemos, nem devemos nos acostumar com essas pessoas, crianças, mortas no Mar Egeu, declarou neste sábado o ministro grego da Política de Imigração, Dimitris Vitsas.

A solução é a abertura de rotas e procedimentos seguros para refugiados e migrantes e para a luta contra o tráfico, acrescentou.

Neste sábado à tarde, uma manifestação estava programada em Atenas para protestar contra o acordo UE-Turquia e a favor de uma melhor recepção europeia dos imigrantes.

As organizações humanitárias denunciam o pacto com Ancara porque ele prevê o retorno à Turquia de todos os que chegam nas costas gregas, incluindo os refugiados sírios.

Mas o governo grego o defende ferozmente. Atenas afirma querer evitar a retomada do êxodo dos anos 2015 e 2016, considerado potencialmente desestabilizador.

Na ausência de acordo dentro da UE para aliviar a Grécia e a Itália de uma parte dos imigrantes que chegaram até à data nas suas costas, os refugiados - atualmente mais de 13.000 - estão confinados nas ilhas de Samos, Lesbos ou Chios.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212