Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Minas valoriza práticas para inserção de pessoas com deficiência no mercado de trabalho - Jornal Brasil em Folhas
Minas valoriza práticas para inserção de pessoas com deficiência no mercado de trabalho


Minas Gerais está valorizando iniciativas para a inclusão das pessoas com deficiência no mercado de trabalho e estimulando o cumprimento das cotas previstas na Lei 8.213/91.

Para isso, continuam abertas até o próximo dia 5 as inscrições para o Prêmio Empresa Inclusiva, uma iniciativa do Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese).

A ideia da Sedese é identificar, reconhecer e premiar as empresas que desenvolvem políticas e práticas para a inclusão das pessoas com deficiência em seu ambiente organizacional, valorizar empreendedores com deficiência e suas iniciativas de inserção no mercado de trabalho, bem como mapear, divulgar e estimular boas práticas para inclusão desse segmento no mundo do trabalho e estimular a melhoria dos processos de gestão, implementação e monitoramento da inclusão da pessoa com deficiência.

As empresas interessadas em participar da premiação devem se inscrever na página da Sedese. No site, elas terão que preencher um formulário com dados cadastrais e outras informações sobre os responsáveis pela inscrição e ainda a relação e contato de seus funcionários com deficiência.

Ao se inscreverem, as empresas possibilitarão a constituição de um banco de dados cujas informações serão disseminadas e veiculadas. Assim serão incentivadas e replicadas as boas práticas de inclusão produtiva.

O prêmio é dividido em três categorias: Empreendedor Individual com Deficiência, destinado a empreendedor ou microempreendedor individual; Pequenas e Médias Empresas, para aquelas que possuam até 99 funcionários, e Grandes Empresas, aquelas com mais de 100 funcionários, todos com CNPJ nas cidades de BH, Grande BH e Colar Metropolitano.

Apesar de o Prêmio ser dedicado às empresas da RMBH e do Colar Metropolitano, empresas e empreendedores do interior do estado que desejarem participar deverão enviar um e-mail para a Secretaria Executiva do Prêmio ([email protected]).

As empresas inscritas serão avaliadas por uma Comissão Julgadora, que observará a existência e o alcance de práticas de inclusão das empresas a partir da gestão estratégica, gestão de recursos humanos, estrutura de carreira e acessibilidade.

Na Gestão Estratégica, serão identificados os níveis de inclusão de pessoas com deficiência na empresa, bem como qual a orientação da política de carreira atribuída a esses profissionais. Já na Gestão de Recursos Humanos, os avaliadores vão observar o processo de recrutamento, seleção, captação, crescimento profissional e retenção na empresa do profissional com deficiência. Em relação à Acessibilidade, serão observados os espaços físicos, assim como os aspectos arquitetônicos e tecnológicos do local de trabalho.

Ao final da seleção, serão escolhidas cinco práticas, projetos e políticas de inclusão de cada uma das categorias e as três melhores classificadas receberão uma certificação, comprovando a contribuição para inclusão da pessoa com deficiência e para o desenvolvimento social, já que o prêmio não oferece nenhuma pecúnia aos participantes.

Poderão ser premiadas até duas práticas, projetos e políticas por empresa. As cinco melhores classificadas em cada categoria terão seu relato publicado e as três práticas premiadas serão apresentadas em evento público promovido pela Sedese, no qual ocorrerá a entrega dos certificados e premiações. A divulgação do resultado ocorrerá no dia 20 de junho no site na Sedese, dia também que será realizada a premiação.

“Nós precisamos que a lei (8213/91) seja cumprida e, além da cobrança do cumprimento, nós podemos também estimular e reconhecer aqueles que têm boas práticas, para que essas ações sejam conhecidas por outras empresas e que até mesmo aquelas instituições que não cumprem a cota, possam desenvolver práticas nesse sentido”, enfatiza o subsecretário de Trabalho e Emprego da Sedese, Antônio Lambertucci.

 

Últimas Notícias

Submarino argentino é encontrado um ano e um dia após desaparecimento
Parlamento cubano rejeita resolução da Eurocâmara sobre direitos human
Incêndio da Califórnia registra 74 mortos e mais de mil desaparecidos
Livro mistura suspense e fantasia em reflexão sobre violência no país
EBC e Fundação Getulio Vargas firmam acordo para revitalizar acervo
Trabalho de escoramento em viaduto paulistano prossegue neste sábado
Belo Horizonte tem previsão de mais chuva; temporais já mataram quatro
Prefeito de Mariana diz que não desistirá de ação no Reino Unido

MAIS NOTICIAS

 

Morre em Pelotas o criador da camisa canarinho, Aldyr Schlee
 
 
Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017
 
 
Jungmann e Toffoli anunciam sistema para unificar processos de presos
 
 
Pensamento liberal deve guiar a equipe econômica de Bolsonaro
 
 
Gold3-4 minutosfajn permanecerá à frente do BC até Senado aprovar Campos Neto
 
 
Senado argentino aprova orçamento de 2019 como prometeu ao FMI

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212