Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


13 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Temer abre Fórum Mundial da Água com presença de poucas autoridades - Jornal Brasil em Folhas
Temer abre Fórum Mundial da Água com presença de poucas autoridades


Em plena crise hídrica e com racionamento de água há mais de um ano, a cidade de Brasília é palco de discussões do 8º Fórum Mundial da Água, aberto oficialmente pelo presidente Michel Temer na manhã desta segunda-feira (19/3) no Palácio do Itamaraty, e que se estende até sexta-feira (23/3).

A cerimônia contou com a presença de poucas autoridades diante de um assunto tão importante, que é a gestão sustentável dos recursos hídricos. Pouco mais de 10 chefes de Estado e representantes governo — sem nenhum parceiro do Mercosul ou do Brics, bloco das economias emergentes integrado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul — compareceram ao evento.

Em seu discurso de abertura, Temer destacou a importância do debate sobre a preservação dos recursos hídricos e reconheceu que não há tempo a perder. "O acesso à água está intimamente ligado à nossa capacidade de crescer de forma sustentável. Em nome do futuro da humanidade, é nossa obrigação buscar o desenvolvimento social em todas as vertentes: econômica, social e ambiental", afirmou o presidente.

"A vida na Terra estará ameaçada se não respeitarmos os limites da natureza", emendou ele, acrescentando que o comprometimento do país com tema é "histórico", desde a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento, a Rio 92, realizada durante o governo do ex-presidente Fernando Collor de Mello, citado por Temer e que estava entre as autoridades presentes.

O chefe do Executivo lembrou que dois milhões de pessoas não possuem fonte de água segura em casa e mais de 260 milhões, mais do que a população brasileira, precisam andar mais de uma hora para coletar água. Ele destacou também a necessidade de políticas coordenadas para a gestão dos recursos hídricos e adiantou que o governo brasileiro está preparando um projeto de lei que visa “modernizar o marco regulatório do saneamento para incentivar investimentos na universalização desse serviço básico”.

Em sua fala, logo na sequência de Temer, o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, também destacou a importância da preservação dos recursos hídricos é um desafio local e mundial, em um momento em que Brasília atravessa por um extenso racionamento de água.

"A falta de investimento em infraestrutura durante muitos anos combinado com o volume de chuvas abaixo da média histórica nos levou a uma crise hídrica", admitiu Rollemberg. Segundo ele, até o fim do ano, deverá ser concluída a obra para a captação de água do reservatório de Corumbá IV, que está sendo realizada em parceria com o governo de Goiás.

Rollemberg lembrou que esta é a primeira vez que o Fórum Mundial da Água é realizado em um país do Hemisfério Sul. Em 2021, será a vez do Senegal sediar a 9ª edição do evento.

O Fórum termina na sexta-feira e prevê uma série de eventos paralelos na capital federal. Há, por exemplo, um espaço aberto para a população, no estacionamento do Mané Garrincha, onde fica a Vila Cidadã, inaugurada neste fim de semana. De acordo com o governador, apenas nos dois dias o local foi visitado por mais de 25 mil pessoas.

"O Fórum deve deixar um legado para esta e futuras gerações. Estamos tratando um tema fundamental para atingirmos os objetivos do desenvolvimento sustentável. Precisamos compartilhar água e para isso, precisamos compartilhar saberes, culturas, opiniões e ideias", afirmou o governador do GDF.

De acordo com dados do Ministério das Relações Exteriores, apenas 12 chefes de estado e representantes de governo ou de delegações participaram da cerimônia de abertura: o presidente da República de Cabo Verde, Jorge Carlos de Almeida Fonseca; o presidente da República Cooperativa da Guiana, David A Granger, o presidente da Hungria Senhor, János Áder; o presidente da República de São Tomé e Príncipe, Evaristo Espírito Santo Carvalho; o príncipe herdeiro do Japão, Naruhito; o primeiro-ministro da República da Coreia do Sul, Nak-Yon Lee; o primeiro-ministro do Marrocos, Saad Dine El Otomani; o primeiro-ministro do Principado de Mônaco, Serge Telle; o vice-presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang Mangue, a diretora-geral da Unesco, Audrey Azoulay; o ex-presidente da Eslovênia, Danilo Turk e o ministro dos Negócios Estrangeiros do Senegal, Sidiki Kaba.

Debates paralelos
Os debates paralelos ao Fórum começaram no domingo, durante o Water Business Day, encontro empresarial que definiu como recomendações a regulação adequada, a disponibilidade e melhoria dos dados e informações sobre bacias hidrográficas e a colaboração e participação na gestão da água são as prioridades defendidas pela indústria para garantir a disponibilidade de água em quantidade e qualidade adequadas. As propostas serão encaminhadas para a Confederação Nacional da Indústria (CNI), que organizou o evento em parceria com o Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (Cebeds) e a Rede Brasil do Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU).

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212