Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


26 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 BofA eleva preço-alvo e recomenda compra para ação que subiu 510% em 2017 - Jornal Brasil em Folhas
BofA eleva preço-alvo e recomenda compra para ação que subiu 510% em 2017


SÃO PAULO - O Bank of America Merrill Lynch atualizou suas projeções para a Magazine Luiza (MGLU3), reiterando a recomendação de compra para as ações, cujo preço-alvo para 12 meses foi revisado de R$ 90 para R$ 120 - o que implica um potencial de valorização de 29,5% em relação ao último fechamento da ação.

A ação da Magalu subiu 510,5% em 2017 e neste ano já acumula ganhos de 15,6% (até o fechamento do dia 16). A ação faz parte da lista de recomendações da Carteira InfoMoney (Clique aqui para assinar o relatório Carteira InfoMoney Premium e receber estas recomendações em tempo real).

Este preço-alvo 33% maior reflete o novo múltiplo que o banco passou a utilizar em seu valuation da varejista: o P/L (Preço/Lucro) estimado para 2019 subiu de 29x para 33x, um prêmio em relação aos varejistas físicos, mas um desconto considerado em relação aos líderes de e-commerce puro, explicam os analistas Robert Aguilar e Rodrigo Cruz.

Os analistas do BofA ainda elevaram em 15% a 20% as projeções de lucro líquido por ação para Magalu neste biênio - de R$ 2,62 por ação para R$ 2,91 por ação em 2018 e de R$ 3,10 para R$ 3,60 em 2019. Vemos oportunidades para melhorar o capital de giro e a geração de caixa, complementaram.

Para a dupla de analistas, a Magalu deve manter o ritmo mais rápido de crescimento ao mesmo tempo em que suas principais rivais, como Walmart e B2W, estão correndo atrás desta fatia de mercado, reduzindo agressivamente seus preços iniciais nas ofertas feitas no e-commerce de forma a ganhar share. Essas saídas, segundo o BofA, coincidem com o marketplace mais amplo da Amazon e as expectativas de oferecer preços mais competitivos no mercado de eletrônicos.

A equipe de análise afirma ainda que o aumento das taxas dos Correios devem trabalhar em favor da Magazine Luiza, que possui uma logística própria, podendo custar metade das taxas de drop-ship vista na Amazon (quando o revendedor não mantém os produtos em estoque e vende os que estão no estoque do fornecedor), enquanto o Mercado Livre tem quase 90% da sua mercadoria bruta vendida no Brasil via Correios.

Esperamos também que as vendas de MGLU se beneficiem dos diversos esforços para reduzir o tempo de entrega, ampliar a oferta de produtos, incluir logística reversa e integrar o seu marketplace em 2018, escreve o BofA.

 

Últimas Notícias

Empresários brasileiros apostam em alimentos e bebidas saudáveis
Temporal no RS deixa mais de 360 mil residências sem luz
Livro aborda mentiras contadas por presidentes do Brasil em 100 anos
Setor da cachaça lança manifesto contra carga tributária
Polícia busca PM sequestrado por criminosos na zona oeste do Rio
Bolsonaro passa bem e tem dreno retirado do abdome
PM encontra carro de policial sequestrado no Rio
Festival de Brasília termina hoje com entrega de premiações

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212