Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 A derrubada da Resolução 726 e a vitória da sociedade - Jornal Brasil em Folhas
A derrubada da Resolução 726 e a vitória da sociedade


Os acidentes de trânsito, em todo o mundo, apresentam o erro humano como responsável em mais de 90% dos casos. As principais imprudências registradas no Brasil são: o excesso de velocidade, uso de celular ao volante, ultrapassagem de semáforo no vermelho, embriaguez ao volante e dirigir sem cinto de segurança.

Neste cenário a falha humana é considerada a principal causa de acidentes de trânsito. Investir na formação de condutores parece ser uma medida importante, para a redução deste problema.

A aprendizagem veicular exige do aprendiz a manifestação das capacidades e aquisições de habilidades motoras, sensoriais, funções cognitivas, além de informações sobre o trânsito, suas implicações técnicas, preventivas, defensivas e punitivas.

É aí que entra então o papel transformador da formação dos condutores, que visa construir um futuro motorista mais consciente do seu papel no trânsito, orientado por normas gerais de conduta no trânsito, bem como das medidas de caráter preventivo de acidentes.

Embora reconheçamos a importância do aprimoramento no processo de formação do condutor na melhoria da segurança viária, a polêmica Resolução 726/2018, que acaba de ser revogada, em menos de uma semana após a publicação, é uma medida extremamente controversa.

Pela nova regra, os motoristas que fossem renovar a CNH precisariam fazer um curso teórico e uma prova, além do exame médico (atualmente obrigatório).

Além de ferir o Código de Trânsito Brasileiro, esta decisão tornaria burocrático o processo de renovação e oneraria a obtenção da carteira nacional de habilitação.

Ademais, é importante salientar que esta revogação tem as nossas digitais. Sim, pois é fruto também do posicionamento firme de representantes de todos os Detrans do Brasil contra o Denatran/Contran.

Posicionamento posto à mesa, na última semana, durante o 6° Encontro Nacional dos Detrans, em relação à edição de resoluções que, de maneira imprevisível, impactam e inviabilizam a prestação dos serviços de todos os Detrans, que lidam na ponta e no dia a dia com o cidadão.

O Detran de Mato Grosso posicionou veementemente contrário à implantação desta resolução por entender que, além de não ter havido um amplo e consistente processo de discussão, iria burocratizar e onerar sobremaneira a renovação da CNH do cidadão mato-grossense.

É evidente que estaremos sempre lutando para que haja melhorias não apenas no processo de formação do condutor, como também na construção de políticas públicas que visam e asseguram a segurança viária.

Todavia, registro que, enquanto estivermos à frente do Detran de Mato Grosso, faremos todos os enfrentamentos necessários para que ilações alucinatórias como estas não se repitam e haja, verdadeiramente, um maior diálogo entre o Contran e os Detrans, de forma a garantirmos uma maior eficiência na prestação dos nossos serviços à sociedade.

*THIAGO FRANÇA é advogado, presidente do Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso.



 

Últimas Notícias

Chega a 73 o número de mortos em explosão no México; feridos somam 74
Forte terremoto de magnitude 6,7 atinge o Chile
Mais de 150 imigrantes se afogam no Mar Mediterrâneo
Brasil e Europa vão ser interligados por novo cabo submarino
Acordo para mudar nome da Macedônia gera protestos em Atenas
Ghosn está disposto a aceitar qualquer condição para obter fiança
Bombeiros buscam pessoa desaparecida depois de tromba dágua no Rio
Mega-Sena acumula de novo e pode pagar R$ 38 milhões na quarta-feira

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212