Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


13 de Dez de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Suspeitos de tortura têm flagrante convertido em prisão preventiva - Jornal Brasil em Folhas
Suspeitos de tortura têm flagrante convertido em prisão preventiva


Os dois homens presos na sexta-feira (16), por crime de integrar organização criminosa tiveram o flagrante convertido em prisão em preventiva, após passarem por audiência de custódia no Fórum de Cuiabá, no sábado (17).

Os suspeitos Luiz Felipe da Silva Brasileiro, 21, e Carlos Alexandre de Arruda, 19, estão em uma unidade prisional de Cuiabá. Eles são acusados de torturar e gravar as cenas de violência praticadas contra um homem que teria cometido um roubo na região do Grande Cristo Rei, em Várzea Grande.

A identificação de Carlos Alexandre de Arruda foi feita pela Polícia Militar, que prendeu o suspeito e o conduziu à Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), juntamente com Luiz Felipe da Silva Brasileiro.

O delegado titular do GCCO, Diogo Santana, afirmou que qualquer um que se intitule membro de organização criminosa será autuado em flagrante a partir de agora.

O crime de integrar organização tem pena que pode chegar até oito anos de reclusão. “Aquela pessoa que se identifica como membro de organização criminosa, seja por aplicativo de celular, seja por pichações em muro, só por dizer que é integrante de organização criminosa, já está sujeito a pena de oito anos, mais a pena do crime que cometer por integrar a organização”, explicou Diogo.

Prisão

Os policiais militares confirmaram a participação de Carlos Alexandre nas imagens do vídeo como sendo um dos agressores. Durante as checagens, os investigadores do GCCO notaram que o conduzido Luiz Felipe possuía uma tatuagem na perna que aparece nas imagens gravadas. O outro detido, Carlos Alexandre, também usava, no momento da prisão feita pela PM, uma bermuda com as mesmas características mostradas no vídeo.

Conforme o delegado Caio Fernando Alvares de Albuquerque, em interrogatório e se mostrando destemidos, os dois confessaram a participação na agressão que foi filmada.

Ainda na residência de Carlos Alexandre, no bairro Jardim União, em Várzea Grande, os policiais civis do GCCO apreenderam um simulacro de arma de fogo (pistola).

Os dois presos foram autuados pelo crime de organização criminosa, e representado pela conversão do flagrante em prisão preventiva dos suspeitos, que serão apresentados em audiência de custódia neste sábado (17), ficando à disposição da Justiça.

 

Últimas Notícias

Deputado Marlúcio entrega título de Cidadã Goiana a cantora Joelma
Fundo Nacional do Idoso é aprovado na Câmara
Aval do TCU é suficiente para cessão onerosa, dizem técnicos da Corte
Acordo possibilitará investimentos privados em segurança pública
Vazamento de óleo afetará reprodução da fauna em mangue, diz ONG
Temer e Bolsonaro lamentam tragédia em Campinas
Jungmann coloca PF à disposição para apuração de caso de Campinas
Ministro da Cultura inicia comemorações aos 200 anos da independência

MAIS NOTICIAS

 

Novo crediário para cartão é estudado para 2019, diz Febraban
 
 
Demanda por bens industriais cresce 0,3% em outubro
 
 
Diálogo Brasil debate projeto Escola sem Partido
 
 
Brasileiro é eleito para Associação Internacional de Seguridade Social
 
 
Polícia e MP de Goiás vão apurar denúncias contra médium João de Deus
 
 
ONG homenageia policiais militares mortos no estado do Rio

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212