Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Dez de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Plenário aprova mudança em texto que criou a Agência Multilateral de Garantia de Investimentos - Jornal Brasil em Folhas
Plenário aprova mudança em texto que criou a Agência Multilateral de Garantia de Investimentos


O Plenário aprovou nesta quinta-feira (22) alterações na convenção que criou a Agência Multilateral de Garantia de Investimentos (Miga) – instituição do Banco Mundial que conta com 156 países-membros, incluindo o Brasil. As alterações estão previstas no Projeto de Decreto Legislativo (PDC) 389/16, que segue agora para análise do Senado.

A primeira mudança elimina a exigência de pedido conjunto, pelo investidor e pelo país anfitrião, para autorizar cobertura de riscos não-comerciais. A segunda permite que o Conselho de Governadores (órgão de gestão da Miga) aprove, por uma maioria especial, a ampliação das modalidades de investimento cobertas pela agência.

A agência é uma instituição internacional que atua em conjunto com seguradoras privadas para oferecer garantias a investidores estrangeiros que desejam investir em países em desenvolvimento. O seguro contra risco político é comum em operações internacionais (como financiamentos e investimentos) envolvendo países com instabilidade política e econômica.

Relator na Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços, o deputado Rogério Marinho (PSDB-RN) entende que a atualização da convenção permite que a Miga desempenhe suas atribuições de maneira mais efetiva e menos burocrática. “Isso cria mais oportunidades para o fomento do progresso econômico de países em desenvolvimento”, avalia.

O relator na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, deputado Delegado Waldir (PR-GO), disse acreditar que as duas mudanças são essenciais para adequar o mandato da Miga “à nova realidade da indústria de seguros e do mercado financeiro”.

A atualização da convenção já foi implantada pela Resolução 86/10. No entanto, para entrar em vigor no Brasil, é necessária a aprovação do Congresso Nacional.

Céus abertos

Na mesma sessão, também foram aprovados acordos sobre serviços aéreos firmados com o México (569/16) e com o Reino dos Países Baixos, esse último em relação à Aruba (603/17) e Curaçao (574/16). Os acordos são conhecidos como “céus abertos” (open skies). Por meio deles, dois países conferem privilégios para as companhias aéreas de ambas as nações nas operações de pouso ou sobrevoo. Os textos seguem para o Senado.

Entre outras vantagens, esses acordos preveem: direito de sobrevoo do território da outra parte sem pousar; direito de fazer escalas para fins não comerciais; isenção, às empresas áreas, de restrições sobre importações, direitos alfandegários, impostos indiretos, taxas de inspeção, entre outros; e autorização para fazer escalas em qualquer dos aeroportos dos dois países.

Aduana e tributos

O Plenário aprovou ainda os seguintes acordos internacionais:
- PDC 544/16 - firmado com a República Tcheca sobre assistência mútua em assuntos aduaneiros. O acordo foi assinado em Praga, capital tcheca, em 1º de novembro de 2012. O texto contém cláusulas padrão em acordos desse tipo e envolvem a troca de informações entre as autoridades aduaneiras sobre assuntos como regras de origem, classificação tarifária e regimes aduaneiros, além de regras sobre prevenção e repressão às infrações aduaneiras e ao tráfico ilícito de drogas e de animais; e
- PDC 548/16 - assinado com o Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte sobre o intercâmbio de informações ligadas a tributos. Com 14 artigos, o texto especifica os limites de sua aplicação e em relação a quais tributos as informações devem ser prestadas, além de conceitos essenciais ao bom entendimento do acordo.

Ambos seguem para análise dos senadores.

Reportagem – Murilo Souza
Edição – Natalia Doederlein



 

Últimas Notícias

Receita paga hoje as restituições do último lote do IRPF 2018
Mercado mantém estimativa de inflação em 3,71% este ano
BC anuncia que atividade econômica cresce 0,02% em outubro
Embraer e Boeing aprovam termos para fusão
Leilão da Ceal é adiado para o dia 28 de dezembro
Tesouro quitou no ano R$ 4,19 bi de estados e municípios inadimplentes
Paulo Guedes diz que pretende cortar até 50% das verbas do Sistema S
Com intervenção do BC, dólar começa semana em queda

MAIS NOTICIAS

 

Paulo Guedes diz que pretende cortar até 50% das verbas do Sistema S
 
 
Documentos de Ghosn são recolhidos de apartamento em Copacabana
 
 
COP24: países definem regras para implementar Acordo de Paris
 
 
Crise na Nicarágua se agrava, diz Comissão de Direitos Humanos da OEA
 
 
Regulamentação do mercado de carbono será decidida somente na COP 25
 
 
Coreia do Norte adverte EUA que sanções podem impedir desnuclearização

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212