Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


12 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Historiadora mostra em livro escrito para jovens a luta das mulheres pelo voto - Jornal Brasil em Folhas
Historiadora mostra em livro escrito para jovens a luta das mulheres pelo voto


O voto feminino, permitido no Brasil a partir da década de 1930, foi uma conquista das mulheres ou uma concessão do governo Getúlio Vargas? A forma como a história é contada influencia a maneira como a sociedade enxerga a luta pelos direitos das mulheres e os próprios avanços a serem alcançados. Essa é a tese defendida pela historiadora Teresa Cristina de Novaes Marques durante o lançamento, nesta quinta-feira (22), de seu livro: O Voto Feminino no Brasil, pela Edições Câmara.

A escritora é doutora pela Universidade de Brasília (UnB) e mestra pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Ela dá aulas na UnB sobre o Brasil colonial e republicano.

O livro, voltado para o público juvenil, conta de forma didática o histórico da luta pelos direitos políticos das mulheres no país, a partir de momentos importantes da discussão do tema no Poder Legislativo. Por exemplo, a análise de emendas que previam o voto feminino na primeira Constituição brasileira do período republicano. Em janeiro de 1891, as emendas foram rejeitadas pela Assembleia Constituinte.

O acervo de obras da Câmara foi a principal fonte de pesquisa da autora. Segundo Teresa Cristina, ainda existem historiadores que desconsideram o trabalho feito pelas mulheres na conquista do voto.

História
“As palavras fazem muita diferença. Se a gente chama de conquista ou de concessão, na verdade, você está colocando alguém nos bastidores ou apagando a memória. Eu sou favorável a contar essa história como conquista”, afirmou a pesquisadora.

Presente ao lançamento do livro, a deputada Creuza Pereira (PSB-PE) destacou que o livro contribui para o debate sobre a participação feminina na política. Segundo a deputada, é preciso envolver as pessoas nessa discussão desde cedo.

“Na escola, a gente tem de ensinar desde cedo a participar das lutas da escola, das lutas da comunidade, assim por diante. Não é preciso que ela pense necessariamente em ser deputada, em ser vereadora. Ela deve ser plena no lugar em que ela estiver”, disse a parlamentar.

Quem se interessar em saber mais sobre a luta por esse direito pode comprar o livro O Voto Feminino no Brasil, de Teresa Cristina de Novaes Marques, pelo site livraria.camara.leg.br. Ele custa R$12, mas a versão online pode ser baixada gratuitamente, no mesmo endereço eletrônico.
Reportagem - Paula Bittar
Edição – Roberto Seabra



 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212