Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


14 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Frente ao Facebook, as opções para o internauta preocupado - Jornal Brasil em Folhas
Frente ao Facebook, as opções para o internauta preocupado


A primeira opção, a mais radical, à qual alguns internautas recorreram, incluindo um dos co-fundadores do aplicativo de mensagens WhatsApp comprado pelo Facebook: desconectar.

A operação, antes difícil, é agora relativamente fácil. O usuário deve clicar sobre o triângulo preto na parte superior da página, selecionar a guia configurações, gerenciar conta, então ir em saber mais sobre desconexão, ou desativação (supressão) da conta.

A desconexão da conta permite retornar à sua conta intacta em caso de remorso, deixando uma presença mínima na Internet: seu perfil será desativado e seu nome e fotos não serão mais exibidos na maioria de suas publicações, mas algum conteúdo como mensagens trocadas com amigos, permanecerão acessíveis a terceiros, explica o Facebook.

Opção mais radical: desativar, ou seja, excluir permanentemente sua conta. Esta opção deixa o usuário invisível no Facebook, mas pode ​​ser necessário até 90 dias para excluir tudo o que foi postado.

No entanto, algumas atividades do Facebook não armazenadas na conta pessoal do usuário persistirão, como mensagens enviadas a um amigo, avisa o Facebook.

De acordo com especialistas em dados como Nathalie Devillier, da Grenoble School of Management, não se deve descartar a possibilidade de que o Facebook retenha dados de algumas pessoas, se houver um pedido das autoridades americanas para a Segurança Nacional.

Reforçar sua vigilância

Outra opção é verificar suas configurações de privacidade e saber a extensão do conhecimento que o Facebook tem de sua vida pessoal, solicitando à plataforma que comunique todos os dados que possui.

Esta última tarefa é fácil e rápida. Você precisa clicar no pequeno triângulo preto na parte superior da página, na guia configurações e no link Fazer o download dos seus dados. Após algumas verificações de identidade, os dados são enviados rapidamente na forma de um arquivo zip.

O arquivo permite ver as fotos, vídeos postados, mensagens trocadas com os amigos, aplicativos instalados, eventos curtidos e em que data, amigos apagados e em que data, anúncios em que você clicou.

Nem sempre é fácil descriptografar. Por que uma página na guia HTML da pasta menciona anunciantes com seus dados, enquanto o Facebook garante que não fornece a seus clientes informações que permitam uma identificação pessoal?

Sem pedir seus dados, a página https://www.facebook.com/about/privacy/ fornece uma riqueza de informações, infelizmente difíceis de analisar, sobre o uso de dados pelo Facebook.

A partir desta página, é possível agir sobre certos parâmetros de publicidade, através do parágrafo difundir e avaliar propagandas e serviços, e da palavra-chave controlar.

Por exemplo, decidir se o critério da situação amorosa pode ser usado para lhe enviar - ou não - um anúncio!

Processar o Facebook

Para alguns especialistas, como os da associação francesa para a defesa dos usuários de Internet Quadrature du Net, não se deve pedir aos usuários que se retirem do Facebook, muitas vezes útil, mas partir para a força jurídica.

Devemos poder usar o serviço sem estarmos sujeitos a um monitoramento do Facebook, explica Arthur Messaud, do Quadrature du Net.

A associação lançará em breve uma ação coletiva na França contra o Facebook, aberta a usuários da Internet. Será baseada nas disposições do Regulamento Europeu de Proteção de Dados (GDPR), que entra em vigor em 25 de maio e altera o equilíbrio de poder em favor dos internautas, disse ele.

Exigimos a pura aplicação da lei, isto é, que o consentimento dos internautas ao uso de seus dados pelo Facebook e seus parceiros não seja forçado, explicou.

O Facebook deve ser forçado, por exemplo, a pedir a seus usuários um acordo explícito para a exploração comercial de dados, estimou.

A empresa deve solicitar o consentimento explícito dos usuários antes de filtrar e priorizar o conteúdo, ao qual eles têm acesso. Nos Estados Unidos, os escritórios de advocacia americanos anunciaram que apresentaram ações coletivas.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212