Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 China e EUA manterão diálogo sobre questões comerciais - Jornal Brasil em Folhas
China e EUA manterão diálogo sobre questões comerciais


O principal responsável chinês para a Economia, Liu He, conversou por telefone com o secretário americano do Tesouro, Steven Mnuchin, e os dois concordaram em seguir se comunicando sobre as questões comerciais - anunciou a agência Xinhua neste sábado (24).

A conversa revelada pela agência oficial de notícias ocorre no contexto de máxima tensão entre Pequim e Washington, após o presidente americano, Donald Trump, decretar a adoção de impostos sobre importações de produtos chineses, totalizando 60 bilhões de dólares anuais.

Essas taxas futuras apontam para setores, nos quais Washington acusa a China de ter roubado tecnologia americana.

Liu He é um responsável do Partido Comunista Chinês formado na Universidade de Harvard e que alcançou, na segunda-feira, o cargo de vice-primeiro-ministro. É encarregado de supervisionar os setores financeiros e econômicos da China.

Na conversa por telefone de sábado, denunciou que uma investigação dirigida pelos Estados Unidos tenha violado as normas do comércio internacional e garantiu a Mnuchin que Pequim está disposta a se defender, indicou a agência Xinhua.

Em agosto, Washington lançou oficialmente uma investigação sobre as práticas da China no campo da propriedade intelectual e da transferência forçada de tecnologias americanas.

A China está disposta a defender seus interesses nacionais e espera que ambas as partes continuem sendo racionais e trabalhem juntas para salvaguardar a estabilidade geral das relações econômicas e comerciais entre China e Estados Unidos, declarou Liu, ainda segundo a agência.

Na sexta-feira, a China advertiu os Estados Unidos de que não tem medo de uma guerra comercial e ameaçou impor tarifas às importações americanas da ordem de 3 bilhões de dólares.

Além disso, Pequim publicou uma lista de produtos, que vai de fruta a carne de porco, que poderiam ser taxados com tarifas de até 25%. Os chineses disseram, porém, estar dispostos a negociar um acordo.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212