Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 China e EUA manterão diálogo sobre questões comerciais - Jornal Brasil em Folhas
China e EUA manterão diálogo sobre questões comerciais


O principal responsável chinês para a Economia, Liu He, conversou por telefone com o secretário americano do Tesouro, Steven Mnuchin, e os dois concordaram em seguir se comunicando sobre as questões comerciais - anunciou a agência Xinhua neste sábado (24).

A conversa revelada pela agência oficial de notícias ocorre no contexto de máxima tensão entre Pequim e Washington, após o presidente americano, Donald Trump, decretar a adoção de impostos sobre importações de produtos chineses, totalizando 60 bilhões de dólares anuais.

Essas taxas futuras apontam para setores, nos quais Washington acusa a China de ter roubado tecnologia americana.

Liu He é um responsável do Partido Comunista Chinês formado na Universidade de Harvard e que alcançou, na segunda-feira, o cargo de vice-primeiro-ministro. É encarregado de supervisionar os setores financeiros e econômicos da China.

Na conversa por telefone de sábado, denunciou que uma investigação dirigida pelos Estados Unidos tenha violado as normas do comércio internacional e garantiu a Mnuchin que Pequim está disposta a se defender, indicou a agência Xinhua.

Em agosto, Washington lançou oficialmente uma investigação sobre as práticas da China no campo da propriedade intelectual e da transferência forçada de tecnologias americanas.

A China está disposta a defender seus interesses nacionais e espera que ambas as partes continuem sendo racionais e trabalhem juntas para salvaguardar a estabilidade geral das relações econômicas e comerciais entre China e Estados Unidos, declarou Liu, ainda segundo a agência.

Na sexta-feira, a China advertiu os Estados Unidos de que não tem medo de uma guerra comercial e ameaçou impor tarifas às importações americanas da ordem de 3 bilhões de dólares.

Além disso, Pequim publicou uma lista de produtos, que vai de fruta a carne de porco, que poderiam ser taxados com tarifas de até 25%. Os chineses disseram, porém, estar dispostos a negociar um acordo.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212