Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Ministro da Saúde diz que Goiás é referência no combate ao Aedes aegypti - Jornal Brasil em Folhas
Ministro da Saúde diz que Goiás é referência no combate ao Aedes aegypti


“Goiás fez 100% daquilo que a gente gostaria que se fizesse no combate ao Aedes aegypti”, disse o ministro da Saúde, Marcelo Castro, ao participar do lançamento hoje, em Goiânia, da campanha Goiás na Ponta do Lápis, que vai premiar as melhores redações de alunos da rede estadual e privada de ensino sobre os riscos da proliferação do mosquito responsável pelas febres e proliferação dos vírus da dengue, chikungunya e zika.

Em solenidade no Lago Azul do Centro de Convenções de Goiânia, com as presenças do governador Marconi Perillo, dos secretários Leonardo Vilela (Saúde) e Raquel Teixeira (Educação), prefeitos, secretários municipais de Saúde e agentes de endemias de todo o Estado, o ministro elogiou o governo estadual pelo êxito no trabalho de reduzir a incidência de focos do Aedes nos 246 municípios do Estado. “Nada melhor traduz o esforço do que os números”, comemorou o ministro, ao citar estatísticas oficias: Em janeiro, 3,9% das residências goianas tinham foco do Aedes, em fevereiro o porcentual caiu para 2,1% e os primeiros números de março registram queda para 1,4%.

Marcelo Castro elogiou também a maneira com que o assunto é tratado pelo governador Marconi Perillo. “Aqui não tem um ministro do PMDB, um governador do PSDB e um prefeito do PT”, afirmou, referindo-se à interação entre os três entes federativos – União, Estado e Municípios – no combate às doenças. Dirigindo-se ao governador, brincou que o Aedes não é um “mosquito municipal, estadual ou federal”. Para ele, toda vez que há uma conjugação de esforços entre poder público e sociedade, as coisas avançam. Marcelo Castro citou pesquisa recente que 85% da população brasileira dizem ter mudado de hábito para combater o Aedes e que 93% promoveram algum tipo de ação em casa para eliminar focos do mosquito.

Ao dar as boas vindas ao ministro, o governador observou que um dos grandes diferenciais de Goiás é o uso de ferramentas tecnológicas para identificar e combater focos do Aedes no Estado, abrigadas na Sala de Situação. Marconi disse também que é importante reconhecer a liderança do ministro Marcelo Castro, que tem atuado decisivamente nesta “grande cruzada” contra o mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus. Ressaltou ao ministro que Goiás não registrou até agora nenhum caso de microcefalia pelo zika vírus e que as autoridades estaduais de Saúde estão atentas para o problema. Por meio da Sala de Situação, explicou o governador, a Secretaria Estadual de Saúde coordena as ações de combate aos focos do mosquito. “Vinte mil pessoas estão envolvidas na eliminação do Aedes em Goiás”, informou ao ministro.

Para reforçar o combate ao mosquito, o governador assinou decreto que estabelece pagamento em dobro dos recursos para custeio de ações contra o Aedes pelos municípios. Em outro decreto, criou uma comissão para estudos de eventuais casos de poliomielite no Estado.

Na abertura do solenidade, o secretário estadual de Saúde, Leonardo Vilela, atualizou os últimos dados da campanha de combate ao mosquito no Estado. Segundo ele, em janeiro 1 milhão de residências foram visitadas, com a eliminação de 29.973 focos do Aedes; em fevereiro foram 1.592.229 moradias visitadas pelos agentes de saúde, onde foram eliminados 26.524 focos. Levando-se em conta o índice de propagação do Aedes aegypti, Leonardo Vilela contabilizou que “60 milhões de mosquitos deixaram de circular em Goiás”. Neste ano, enquanto o Brasil registrou 52% de aumento de casos de dengue, em Goiás o índice foi de 17%.

Outro dado que demonstra o acerto das ações do poder público estadual, explicou Leonardo Vilela, é que no ano passado 106 dos 246 municípios goianos apresentavam grau de “alto risco” em relação à propagação da dengue e hoje são apenas 16.

Durante a visita do ministro da Saúde, a Secretaria Estadual de Educação (Seduce) lançou a campanha Goiás na Ponta do Lápis, que vai premiar as melhores redações na rede pública e privada de ensino, com a narrativa de experiências pessoais de soluções para o problema da dengue. “O combate ao Aedes em Goiás não é uma ação isolada, mas uma ação de governo”, afirmou Raquel, ao propor que o mosquito seja “apagado” de nossa história.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212