Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Levantamento da Seaf aponta queda nos preços das hortaliças - Jornal Brasil em Folhas
Levantamento da Seaf aponta queda nos preços das hortaliças


Os preços do tomate, jiló, abobrinha, maxixe e pimenta de cheiro caíram na Central de Abastecimento de Cuiabá. É o que aponta o levantamento desta semana realizado pela Secretaria de Estado de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários (Seaf). Na pesquisa de preços realizada na terça-feira (20.03), no terminal voltado para o comércio atacadista e varejista de hortifrutigranjeiros da Capital, foi constatado que o jiló está custando 33% a menos do que na semana passada, passando de R$ 60,00 a caixa com 14 quilos para R$ 40,00. Já o maxixe diminuiu 28% no preço, reduzindo de R$ 70,00 para R$ 50,00 a caixa com 16 quilos. O percentual de perda da abobrinha foi de 20%, caindo de R$ 50,00 a caixa com 19 quilos para R$ 40,00.

A pimenta de cheiro reduziu 14%, passando a ser comercializada a 60,00 a caixa com 8 quilos. Na semana passada o produto era vendido a R$ 70,00. O tomate também acompanhou a baixa dos preços e está sendo comercializado a R$ 70,00 a caixa com 20 quilos, caindo 13% na tabela de preços, que antes chegava a 80,00. A razão para o recuo dos valores se deve pela boa oferta desses produtos na Central de Abastecimento e também pela diminuição na procura por parte dos consumidores.

Diferente do tomate, jiló, abobrinha, maxixe e pimenta de cheiro, o alho e o milho verde sofreram alta nas cotações. A saca com 45 quilos de milho verde saltou de R$ 40,00 para 55,00, subindo 35% em apenas uma semana. O alho subiu 10%, sendo comercializado a R$ 110,00 a caixa com 10 quilos, enquanto que no dia 14 passado era vendido a 100,00.

A cotação de preços dos principais produtos da agricultura familiar é realizada semanalmente, toda terça-feira a partir 5h, por técnicos da Seaf, Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) e prefeitura de Cuiabá. A pesquisa de preço é realizada na Central de Abastecimento de Cuiabá, levando em conta o preço mínimo, mais comum e o preço máximo dos produtos encontrados nas barracas em três horários distintos durante o período matutino.

Para acessar o preço de todos os 40 produtos divulgados pela cotação nacional dos preços do Prohort clique no link: http://www.prohort.conab.gov.br

Esta regulação é fundamental para garantir a qualidade do preço, evitando crimes contra a economia popular e valorizando o esforço e trabalho do homem do campo.



 

Últimas Notícias

Saúde libera recursos para atender moradores da região de Brumadinho
Justiça determina prisão preventiva de acusado de espancar paisagista
Irmão de mulher espancada diz que ainda está chocado com a violência
Flamengo pede mais prazo para decidir sobre indenização de vítimas
Profissionais que atuaram em Brumadinho serão monitorados
Auditores descobrem 158 Kg de cocaína na fronteira com a Bolívia
Governo determina medidas de precaução para barragens em todo o país
Bolsonaro irá ao Congresso entregar texto da reforma da Previdência

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212